sexta-feira, Maio 05, 2006

Barranco Longo Touriga Nacional 2004


Um vinho que veio da praia, mais precisamente do Algarve. Do produtor Rui Virginia, Algoz. Um produtor que lançou recentemente um conjunto de vinhos: rosé, branco e tintos.
Provado em prova cega. Com 14 % de vol.
Aromas sensuais, com a presença de muitos morangos e framboesas aliados a um ligeiro fumado, orientando-nos para as folhas de tabaco. Algum chocolate, sem excessos. Num perfil elegante.Na boca estava afinado, equilibrado, mantendo-se fresco. Um final médio. Não sendo um vinho do outro mundo (até acaba por ser, dada a região de origem) é um vinho guloso e saboroso. Vale a pena provar.
Nota pessoal: 15,5

17 comentários:

Anónimo disse...

"Um vinho que veio da praia", "Não sendo um vinho do outro mundo (até acaba por ser, dada a região de origem)"

Caro Pingas Vossa Exa tem complexo e preconceito em relação a esta região :(, ou é mais um papa rótulos???. Sou proprietário de um dos melhores restaurantes do Algarve,os meus clientes até hoje não pediam vinho Algarvio, hoje tenho o prazer e a confiança em servir os novos vinhos desta região, e o resultado é que os clientes mais exigentes e esclarecidos são os maiores intusiastas e consumidores destes.
O vinho que comenta está na minha carta de vinhos, como Touriga é tão bom ou melhor que afamados Tourigas do Douro e Dão.

Pingus Vinicus disse...

Caro anonimo, tenho muito gosto em conhece-lo.
Parece que não percebeu as minhas modestas palavras. Deu para perceber que gostei francamente do vinho. Mas também lhe devo dizer, que a minha admiração pelo mesmo está intimamente relacionada com a sua origem. É assinalável! Ou vai-me dizer que o Algarve, como região vinicola está ao nível do Douro e do Dão.

Mais uma achega, nunca fui um consumidor de rótulos, ou como diz um papa-rótulos. Porque como sabe eles não se papam...

Um abraço cordial!

Anónimo disse...

Se à região que estimo tanto como o Algarve é o Douro. E os seus vinhos de topo. Amendoeiras, oliveiras, vinhas e até pequenos pomares de laranja se observam na paisagem do alto Douro, culturas tão caracteristicas do Algarve. E um clima idêntico na estação do Verão. Pelos vistos "terroir" pelos Algarves é coisa que não falta. Caro Pingus vou colocar uma questão: O que é que falta na região mais a sul do nosso pais?

Pingus Vinicus disse...

Caro anónimo, pessoalmente e como apaixonado pelo vinho só desejo que o Algarve comece a ser olhado de maneira diferente pelos consumidores. Mas a realidade não é essa. Sabe muito bem isso!

Desejo e gostava que começassem a surgir mais vinhos. Vinhos com interesse, com personalidade como o Barranco Longo tem.

Caro anónimo se calhar o Algarve como "terroir" não precisa de nada. Precisa é que as suas gentes mudem um pouco (veja os inumeros investimentos que acontecem no Douro e no Alentejo). Que olhem para a sua região como algo que vai para além da praia, do betão armado, das enchentes de Verão...Pessoalmente desejava muito!
Estou a pensar na amendoa e na laranja que correm o risco de desaparecerem.

Agora faço eu uma pergunta: Porque é que no Algarve não nascem projectos vinicolas em número suficiente e que possam a longo/ médio prazo colocar a região num patamar diferente daquele que está agora? O retorno financeiro não é aliciante?

Anónimo disse...

Porque: 20.000 euros o preço do hectar de terra e o mais dificil é encontrar, trabalhadores agrícolas em extinção, não existe know how na região, exemplo a Adega do Cantor- Cliff Richard recorre aos serviços do Enólogo do Esporão David Baverstock e à sua equipa técnica, a Quinta do Barranco Longo recorre aos serviço de um Enólogo da Região dos Alvarinhos. E Algarvios com vontade de trabalhar e amor à sua terra são muito poucos, mas os poucos são muito bons!

Pingus Vinicus disse...

Caro anónimo (custa-me tratá-lo desta forma). Percebo perfeitamente.
Claro que no Algarve existem algarvios com amor pela sua terra, tal como nos outros recantos deste país...

Enófilo atento disse...

Sr Anónimo fiquei um pouco abalado quando afirma que «..como Touriga é tão bom ou melhor que afamados Tourigas do Douro e Dão.»

Penso que só pode ser uma brincadeira da sua parte, ainda por mais de uma pessoa que diz
ser proprietário de um dos melhores restaurantes do Algarve.
Ora uma pessoa nessa posição penso que deve ter um conhecimento acima da média no que toca a vinho e conhecer bem os grandes vinhos que por cá se fazem.
Não sei se sabe mas neste momento os grandes Tourigas são feitos no Alentejo... Cortes de Cima, Quinta do Mouro, Herdade das Servas, Esporão... e penso que o vinho Touriga do Algarve não chega a rivalizar com qualquer um destes.

Já agora porque é que os Algarvios fogem para o Alentejo para poder fazer vinho com qualidade ?

Anónimo disse...

Sr enófilo atento,
1º penso que não bebeu este touriga, não chega a rivalizar? Prove 1º, comente depois!
2º Identifique sff quem são esses algarvios que fogem para o Alentejo.
cumprimentos

Anónimo disse...

Enofilo atento ou muito desatento?

http://www.coisasdoarcodovinho.pt/catalogo/detalhes_produto.php?id=2064

Enófilo atento disse...

Não me vou alongar muito neste assunto que penso não ter pernas para andar... esse Touriga que fala vem referenciado no Guia de Vinhos do conceituado crítico de vinhos João Paulo Martins com 4/5 enquanto outros têm notas muito superiores. Mas muito dificilmente o vejo rivalizar com Monte Seis Reis, Mouro, Cortes de Cima,Herdade das Servas, Quinta de Cabriz, Corujão, Quinta da Garrida, Quinta do Crasto ou até mesmo o novo da Ermelinda Freitas para não referenciar mais alguns...
Encaro esse vinho por exemplo com um Coop Borba Touriga Nacional 2003 ou com um Ervideira Touriga Nacional 2003.

Tem exemplo a Herdade da Malhadinha Nova que penso serem os donos das Garrafeiras Soares espalhadas pelo ALGARVE, ou Herdade dos Grous que penso ser de uma famosa cadeia de hoteis do Algarve...

Anónimo disse...

TEM DE COMPRAR UNS ÓCULOS
NESSA CLASSIFICAÇÃO 5/6 NESSE MESMO LIVRO

enófilo atento disse...

Ao que parece tem o livro... só me estranha é como uma pessoa que se mostra tão esperta consegue afirmar que esse vinho rivaliza com tantos outros independentemente dos 5/6 que obteve... será que os seus olhos com ou sem óculos não conseguem vêr as notas dos outros Touriga Nacional no mercado ?
E como estamos a entrar no campo do gosto pessoal encerro esta conversa.

Anónimo disse...

Acaba a conversa...? Tanto disparate, tanto preconceito, tantas ideias preconcebidas….não tivesse este Touriga o handicap de ser produzido no Algarve, tivesse no rótulo DOURO, o mais certo seria um 7 pontos.

enófilo atento disse...

Por norma as conversas com pessoas complexadas não levam a lado nenhum.

Depois não acho de bom tom colocar em causa o profissionalismo de um crítico de renome como é o Sr João Paulo Martins.

Anónimo disse...

Outro anónimo:
Um recadinho para o algarvio ferrenho e para o enófilo atento, parem com essa troca de beijinhos. Acabaram por me despartar a curiosidade por esse vinho algarvio, quero primeiro apreciar, para depois poder comentar.
Tenham calma.

Anónimo disse...

16 pontos - Luis Lopes - n.º202 Setembro 2006 - Revista de vinhos

Anónimo disse...

cirano

bons dias...
ja vai alguns anos depois desta polemica neste blog, mas uma coisa que não foi dito aqui é que o terroir de um e de outro não tem nada haver, cada região tem os seus proprio terroir, parece que não mas isso inflencia e muito, como é o solo do Algarve??