quinta-feira, Maio 18, 2006

Era bruto? Era...aliás continua, mas!


QUINTA DE MACEDOS 2000. Paul Reynolds 14,5%. Douro.
Um regresso a um vinho que quase já estava esquecido no meio de outras garrafas que deambulam pela minha casa. Sim, porque eu não tenho uma garrafeira. Tenho um aglomerado de botelhas para meu belo prazer. Puro deleite.
Lembro-me dele, do vinho, quando era jovem, bem bruto, de difícil aproximação. Quase fugi na altura! Agora já dá para trocar algumas palavras com ele.
Continua opaco na cor, escuro.
Os aromas continuam a mostrar enorme qualidade e intensidade. Lagar; mas de granito. Muita fruta, aliada a sugestões de esteva (os prédios do meu avó, as lages) e mato. Que saudades da minha infância. Os Penedos. Sim os penedos! Agora lembra-me os penedos, as fragas que conseguíamos ultrapassar...Era uma vitória! Quando chegávamos lá a cima. Comíamos o farnel feito pela avó! Voltemos ao vinho...
Na boca, continua duro, mas com a rédea curta é possível domesticá-lo. Os taninos estão mais disfarçados. Uma estrutura de grande qualidade e corpo muito mastigável. Um vinho bastante cheio e com uma persistência na boca muito longa. Arrisquem...
Nota Pessoal: 17

10 comentários:

Fisiopraxis disse...

O meu amigo é um saudoso!
É interessante como transporta as suas memórias para dentro do vinho, dos aromas e dos sabores, ou como estes o fazem viajar no tempo.
Quanto ao Macedos, qual a sua opinião sobre a altura em que deve ser bebido com mais potencial?
Vale a pena guardar mais um tempo?

Pingus Vinicus disse...

Caro Fisiopraxis, devo-lhe dizer que o vinho está para as curvas.
Acredito, na minha humilde opinião, que vale a pena guardar mais algum tempo.

Infelizmente eu já não tenho mais nenhuma em casa.

Miguel disse...

Rui, tenho o 2001 em casa. Achas que deva guardar por mais quanto tempo?
A prova deu-me vontade de o provar.

Pingus Vinicus disse...

Olá Miguel!
Bem falas do 2001. Não o provei...
Mas olhando para a minha experiência com o 2000 e para que os criticos (os verdadeiros) dizem, guarda mais um pouco o vinho. Bebe-o com calma. Ele precisa de muita decantação e tempo de abertura...
Escolhe um prato com alguma robustez...E Desfruta!

Um abração

Fisiopraxis disse...

E o que é que levou o amigo pingus a abrir essa garrafa. Calculo que tenha outras em casa, se calhar mais prontas a serem bebidas...
Também tenho esse vinho mas confesso que está no último 3º da "lista de espera".

Pingus Vinicus disse...

Caro fisiopraxis, terá sido o pecado da gula que me levou a abrir a botelha??? Ou falta de paciência para esperar mais, com medo de que pudesse ser um daqueles vinhos que morrem em pé?
Eu sofro de um mal é não conseguir esperar muito...

Fisiopraxis disse...

Meu caro amigo, essa maleta aparece-lhe em todas as situações?
Espero bem que não! Saber esperar é uma virtude...sempre.
Todos os vinhos morrem escorregando...nunca de pé.

Pingus Vinicus disse...

Caro fisiopraxis. Bem sei que esperar é uma virtude.

Gostei dessa de que os vinhos vão morrendo escorregando...naturalmente pela garganta abaixo!

Fisiopraxis disse...

Ora aí está!
Espero que me perdoe o "maleta", o que queria dizer era maleita.
Por falar em maleta, terei todo o gosto de provar um desses Macedo consigo; Esse aqui da minha maleta...

Pingus Vinicus disse...

Caro fisiopraxis, não me esquecerei da promessa que fez. Lá terei de beber esse Macedos da sua maleta.