sábado, junho 17, 2006

Um Castelo destes não vai abaixo

Um castelo destes é que eu precisava. Tem aguentado bem as investidas do tempo. Está dificil de o conquistar, de o derrotar. Começou com bons alicerces, que lhe permitiram construir boas muralhas. Os seus habitantes podem dormir descansados. É necessário um exército bem equipado para fazer o assalto final.
Até lá vou continuar a desfrutar deste Castelo D’Alba Vinhas Velhas 2003. Um vinho branco feito pela VDS. Douro. Com 14,5% de graduação alcoólica. As uvas são provenientes de Freixo de Espada à Cinta. Nada mais que a terra da minha família paterna! Excelentes momentos que passei junto ao rio Douro. Havia sempre uns peixinhos assados, do rio, que eram salpicados por um molho picante. O vinho, esse era da família!
Sempre achei este branco com muita personalidade, com presença. Nunca consegui ficar indiferente. Uma paixão à primeira vista. Alguns acharão um exagero, mas nisto de gostar ou não gostar, não é algo que se quantifique de forma racional. Vai ser com essa paixão, ainda bem viva, que irei falar deste vinho. Descontem um pouco nas minhas palavras!
Aromas muito vincados, afirmativos, robustos, e impositivos. Transmitem o carácter da terra que lhe deu origem. É preciso deixar abrir o vinho. Eu até o decantei. Raramente acontece com vinhos brancos. Inicialmente com sugestões de combustível, que foram desaparecendo gradualmente. Depois veio a fruta seca envolvida por tiques de pão torrado, farinha, baunilha e caramelo. Deambulavam notas de fruta fresca, que me faziam pensar em ananás, limão e alguma maçã. O mineral ajudava a refrescar. Mas sou sincero, não me preocupei muito em descortinar mais aromas. Às vezes nem vale a pena. Acima de tudo desfrutei.
Na boca o seu comportamento continuou impositivo, personalizado e robusto. A acidez refrescava. O final era longo. Ainda está para durar.
Fiz uma combinação explosiva com ele. Meti-o ao lado de um prato difícil. Uma poejada de bacalhau. E resultado foi um empate entre o Sul e o Norte. A minha mulher agradeceu.
Uma palavra final para o preço. São 10€. Preço de Hipermercado.
Nota Pessoal: 17,5

6 comentários:

Anónimo disse...

Belo vinho!!
Belo preço!!
O 2004 ainda é melhor. Só precisa de um soninho de garrafa....

Pingus Vinicus disse...

É verdade, pelo menos assim o considero. Quanto ao 2004, infelizmente só o cheirei e bebi no último Dão&Douro. Tenho tido alguma dificuldade em encontrá-lo por aí...

Pedro Guimarães disse...

Caro Pingus,

Perdoe-me o anterior anonymous...
Relativamente ao 2004, comprei as minhas na garrafeira Coisas do arco do vinho. Penso que com 2/3 anos de garrafa vai cantar ainda mais alto. Aliás, muitos dos nossos brancos de topo (regiões Norte) ganham muito com o reposo.

Boa sorte!!

Pingus Vinicus disse...

Caro Pedro, sou um cliente das Coisas do Arco do Vinho, bem como amigo dos sócios, e passou-me completamente ao lado a presença desse vinho.

Chapim disse...

Caro Pingus, sendo a primeira vez que participo no seu blog, gostaria desde já de lhe dar os parabéns pela qualidade das suas provas.

Relativamente a este belo Castelo, é s prova para mim como é possível fazer bom e com bom preço em Portugal. Não que seja barato, mas para outros brancos que aí andam é uma autêntica pechincha.. Também provei o 2004 no DãoeDouro e fiquei à espera de o ver cair na minha pequenina garrafeira..

Continue...

Pingus Vinicus disse...

Caro chapim, obrigado pelas suas palavras.
Tendo em conta o preço de alguns brancos, o Castelo é uma óptima opção. Também eu espero adquirir brevemente o 2004.
Um abraço


PS-Espero continuar