quarta-feira, dezembro 13, 2006

Sem nada para dizer

Criar um Blog, onde o tema central anda à volta do vinho (sem falar dos meus desvairos pessoais), e não provar ou beber nada de relevante, transforma este poiso num espaço morto, sem grande interesse (perdoem-me este momento de soberba) .
Que hei-de dizer? Que ando cheio de trabalho, e o que bebo é tão ridículo que me envergonho de publicar.
Depois estamos a caminhar a passos largos para as festividades do Natal e do Ano Novo. Época onde se gasta o que se tem e o que não se tem (é a chamada: frase chavão).
O povo esquece as amarguras do ano e enfia-se nos centros comerciais, para estoirar os poucos euros que possui. Pessoalmente, irrita-me. É como se o passado fosse apagado. A obrigatoriedade de sermos felizes.
Depois desta temporada louca, volta tudo ao normal. Tal como o Euro 2004. Acordamos para a dura realidade. Os imperadores romanos tinha razão: "Pão e Jogos, para o povo".
Bom, depois deste encher de chouriços, posso-vos dizer que estava com um Catedral 2004, um branco do Dão. Nada de especial. Honesto, frutado, limpo. Cumpre a função de ajudar a descontrair.

7 comentários:

Pedro Guimarães disse...

Caro Pingus

Peço desculpa de utilizar o teu esplêndido blog para fazer um repto a ti e aos bloggers que aqui costumam opinar...qual é que vão ser os vinhos da tua(vossa)consoada?

P.S. - novamente tenho que concordar com a tua apreciação ao natal do consumo exacerbado...o pesadelo dos centros comerciais!!!!!

Pingus Vinicus disse...

Viva Pedro, fazes uma pergunta difícil.

Pessoalmente tenho vindo abandonar a "missão" de colocar "bons" vinhos na mesa, por alturas da consoada. Ao fim de alguns anos fartei-me um pouco de ouvir comparações entre os "meus vinhos" e os "caseiros que não levam produtos" ou que o Montevelho, o Borba, o Esteva, o Pedras Altas é que estão uma grande pomada.

Infelizmente não tenho companhia, na minha família, para desfrutar uma bela pinga e conversar sobre ela.

Irei naturalmente arranjar algumas opções que possam dar algum prazer, mas nada de extraordinário. Nada mesmo!

Quantos aos outros bloggers, que venham sugestões!

Pedro Guimarães disse...

Caro Pingus,

Conheço bem as teorias do Vinho Caseiro, sem químicos...cheios de pureza de pipa!!! Não desanimes, abre uma boa botelha na consoada e faz ouvidos de mercador aos comentários...

Festas Felizes

Copo de 3 disse...

Dá a volta por cima... esvazias uma garrafa de Monte Velho e metes la dentro o que tu gostas... se disserem coisas tu dizes, é uma colheita especial ou é dos copos... mais não seja serves num jarro sem se dizer o que se bebe...

Pedro Sousa (P.T.) disse...

Lá está, há dias em que não tenho nenhum probelema em pagar bem um vinho caro, e há esta altura em que se gasta muito, e pesa-me a consciência em largar uns bons euros por uma garrafa. Mas ao mesmo tempo apetece-me um vinhão. Ainda ontem no Jumbo, dei voltas e voltas à garrafeira para comprar um vinho compatível para esta altura financeira, e não encontrei. Quer dizer, encontrar encontro sempre, mas pesa-me!!!
Tive que recorrer ao banco de supelentes (minha "singela" garrafeira), mas fiquei satisfeito... pode ser que no sapatinho haja algumas garrafinhas para repor...
Um abraço. e já agora boas festas, e espírito positivo.
ps: A pinga aberta foi o Fundanos 2001 Aragonês/Jaen 2001. Cooperativa do Fundão.

Pingus Vinicus disse...

Pedro, há muito que não bebo um vinho do Fundão ou da Covilhã.

Pedro Sousa(PT) disse...

Tenho povado com frequência o Praça Velha, que ainda tenho uma de 1997, conto abrir para o ano, gosto deste vinho. O Piornos, não acho muita piada, mas tendo em conta o preço, até nem está mal. A casa Garrett, manda cá para fora umas coisas giras, principalmente os brancos, e finalmente o top nº1 para mim, é o Colheita do Sócio 2001 colheita selecccionada.