quinta-feira, Setembro 11, 2008

Cabriz Encruzado 2007

Foi (bastante) difícil de encontrá-lo. Por entre ruas, estradas e esquinas procurei aflito por ele. Há muito que não bebia o encruzado da Quinta do Cabriz. A coisa aguçou-se, ainda mais, porque ouvia e lia sistematicamente comentários elogiosos ao vinho. Tinha que o fazer passar pelo meu crivo, pela minha estranha maneira de olhar para o copo.

Mineral em toda a largura, bem acompanhado nos aromas e nos sabores por sensações de carácter vegetal. Tudo vivo, fresco e bem orvalhado. Num registo (muito) vibrante, nervoso e refrescante. Consegue manter, apesar da intensidade, seriedade e equilíbrio.
A fruta era, tendencialmente, citrina.

A madeira oferece, ao vinho, um conjunto de aromas secos, fazendo recordar avelãs (Por acaso, há muito tempo que não como. Quando era puto, volta na volta, subia até às avelãzeiras) e amêndoas. Apesar de estar bem presente, não se torna pesada, nem demonstrou vontade em ser protagonista (em excesso). Pareceu-me, sinceramente, bem integrada, conseguindo enriquecer o conjunto.
Na boca, o vinho demonstrou, mais uma vez, um perfil fresco, voltando a revelar aquela faceta mineral que apresentou nos cheiros. Um bom prolongamento. O final estava marcado pela madeira e pelos citrinos.
Mais um (belo) vinho branco que convenceu pela consistência e qualidade que revelou em toda a prova (tive a sorte de bebê-lo por duas vezes). Nota Pessoal: 16,5
Post Scriptum: Pior é encontrá-lo.

6 comentários:

Nuno de Oliveira Garcia disse...

100% de acordo com o meu amigo.

NOG

Pedro Guimarães disse...

Obrigado Rui Miguel pela bela prova!!! Já estou à caça de belo dito...alguma pista onde o encontrar?

Abraços
Pedro Guimaraes

p.s. - vê o teu email hoje :)

Chalana disse...

Boas,

Na Garrafeira de S. João em Benfica.

PVP : 7 €

É na realidade um dos melhores brancos do ano na relação preço/qualidade.

Saudações dos Puros e Vinhos

NA

Anónimo disse...

Conheci a versão de 2004. Na boca sobressaía claramente a maçã.
(Filipe Sousa)

Chapim disse...

Caros,
adoro este vinho. Fresco, crocante e muito bem feito. Desde 2005 que está sempre na lista e nunca me deixou mal.
já o vi no El Corte Ingles - supermercado e na Garrafeira Nacional.
Boas provas!

peter disse...

Meus amigos.

Teclo de Porto Alegre Brasil, estado no sul do país fronteira com Argentina e Uruguai. Vou comprar este vinho hoje mesmo, encontrei-o numa loja especializada por um bom preço. Sempre tenho o cuidado de antes de comprar um vinho português consultar os blogs dai para não cair em armadilha.

Vinhos portugueses, franceses e italianos, salvo exceções, como esta, ou são muito caros e bons (Cartuxa, Quinta da Bacalhoa, Pera Manca, etc) e muito caros.

Até mais.