segunda-feira, Setembro 22, 2008

Vampire Merlot 2004

Daqueles lados só tinha ouvido dizer que viveu, ou ainda vive (depende do ponto de vista) um indivíduo que, volta na volta, acercava-se do pescoço dos seus convidados. A dieta alimentar (dele) baseava-se naquele líquido avermelhado que percorre pelas (nossas) veias e artérias. Mais ou menos oxigenado, mais ou menos venoso.
Acredito que quanto mais jovem fosse a vítima, (bem) mais interessante seria o pitéu. Uma questão de vigor, de força e de frescura.

As palavras Vampiro, Drácula e a Transilvânia levam-me para muitos lados, para muitas viagens (bem tenebrosas), mas não para dentro de um copo de vinho. Nunca passaria pela minha cabeça, que naquela noite defronte do rio, tinha um copo com vinho nascido numa terra que faz estremecer o comum do mortal.

Cheiros muito doces. Roçaram, durante muito tempo, o enjoativo. Directo e simples na forma como se apresentou. Nada mais que umas bagas e umas groselhas. Por entremeio, qualquer coisa que recordava doce de tomate. Num timbre madurão e algo cansativo. Sem grandes complexidades, sem (grandes) motivos para dar mais um trago.
Na boca, os sabores pareceram-me, mais uma vez, planos. Regressaram os doces, em forma de compotas. A acidez, andava por ali, meio tonta, meio sem sentido.
Um vinho que trouxe pouco aos sentidos (ao contrário do nativo mais famoso da Transilvânia).
Um tinto Romeno mediano e limpo. Pouco mais que isso. Pela ronda (curta) que dei pelo site do produtor, pareceu-me ser um vinho de gama baixa, provavelmente de grande volume (digo eu). Talvez os outros sejam mais dignos de Drácula. Nota Pessoal: 13

Post Scriptum: Provado às cegas, juntamente com outros sete vinhos. É o primeiro que partilho com vocês.
Já agora, alguém viu o filme Nosferatu? Uma película de cinema mudo, típica dos anos 20. Está no lote dos meus clássicos. Ainda mete medo.

6 comentários:

Pratas disse...

O rótulo não deixa de ser muito engraçado :) e adorei o texto introdutório.

O filme, infelizmente não vi...

Abraço

Copo de 3 disse...

Andas a ficar muito alternativo, qualquer dia dou contigo a provar vinho e a ouvir Type O-

Anónimo disse...

Bela Lugosi's Dead

Pedro Rafael Barata (Blog Os Vinhos) disse...

Caro Rui,

De vez em quando "arranjas" cada "um"... :)

Abraço!

O Pescador disse...

De vinhos e cinema pesco um bocadinho, muito muito pequenino.
Ainda assim, atrevo-me a recomendar M (Murder) de Fritz Lang (1931).
Cumprimentos.

Pingus Vinicus disse...

Desviando um pouco o assunto, entre os anos 20 e 40 estão alguns filmes que pertencem aos meus eleitos. Metropolis, Ivan, o Terrível ...

Um abraço beirão

PS- Olhe que de cinema e vinhos também pesco pouco.