quarta-feira, novembro 19, 2008

Frei João (Bairrada) Branco 2007

Mudaram-lhe o rótulo. Efectivamente o aspecto não é tão velho. Indicia maior exuberância e modernidade. Pelo preço (menos de 3€) vale a pena arriscar e provar. Levei-o para casa, numa das idas ao super para trazer o jantar.
Esta vai ser curta, breve e sem grandes demoras. Não valerá a pena esticar-me em demasiados comentários. Um vinho branco que surgiu muito discreto, quase sem coisa para dizer. É preciso escutar com calma para perceber o que diz. Meias palavras e pouco mais. Tudo se desenrola de forma tão estranha e inócua que fico sem saber o que tinha pela frente. Poderão, eventualmente, perguntar-me: "Por esse preço não se pode pedir mais!" Por esse preço temos, no mercado, interessantes opções e a lista, se calhar, não seria assim tão curta (estou a falar para o ar).
Provei-o em vários momentos e o assunto não passou do trivial. Só para encerrar o tema, este vinho branco das Caves São João resulta de uma mistura entre o chardonnay, maria gomes e arinto.
Pobre
Frei João, depois de um interessante Reserva Tinto de 2005, tinha direito a um branco com mais nervo. Nota Pessoal: 12

Post Scriptum: É tão fácil dizer mal de um vinho barato. É tão difícil dizer mal de um vinho caro.

4 comentários:

j... disse...

«Post Scriptum: É tão fácil dizer mal de um vinho barato. É tão difícil dizer mal de um vinho caro.»

Tão verdade! :)

Copo de 3 disse...

Dizer mal é denegrir e tentar mandar abaixo algo que por um lado é tido e sabido como uma verdade.

O que se faz aqui e noutros lados não é dizer mal, é opinar e em muito dos casos dizer a verdade que por vezes fica escondida nos interesses obscuros de alguns elos da sociedade.

Desculpa lá a prosa mais elaborada mas quando bebo vinhos que gosto fico assim... :)

Duarte F disse...

Olá,

Nunca provei o branco, mas tenho bebido ao longo dos últimos anos o tinto de 2003 e acho-o muito agradável, sobretudo tendo em conta o preço (€ 2,19).

Eu, como interessado no vinho, mas não conhecedor, acho mais fácil dizer mal (criticar, opinar, etc.) de um vinho consagrado que o cotnrário, exactamente porque o factor "expectativa" é um dos mais decisivos na minha apreciação.

Pingus Vinicus disse...

" ... acho mais fácil dizer mal (criticar, opinar, etc.) de um vinho consagrado que o contrário, exactamente porque o factor "expectativa" é um dos mais decisivos na minha apreciação."

É verdade, isso acontece muitas vezes.