domingo, Abril 19, 2009

Vinho Branco, Vino Blanco, Vino Bianco, Vin Blanc, White Wine,Weißer Wein, Белое вино

Continuando a eterna demanda em busca de vinhos a baixo custo (menos de 10€), andei esta semana a dar cabo do corpo com alguns vinhos brancos. Não tenho estado com vontade para beber outras coisas.
Olhando para eles, reparo que apenas um (talvez dois) surpreendeu verdadeiramente. Provavelmente pela força, pela diferença que mostrou (mostraram) dentro do copo. Se calhar influência do lugar de onde vieram. Nem mais, nem menos.

Quinta de Porrais (Douro) Branco Colheita 2007
Um regresso. A primeira impressão que tive não foi feliz. Parecia-me simplesmente mais um branco. Desta vez, pareceu-me mais vivo, com mais aroma e mais sabor. Fruta, vegetal e flor bem misturados. Limpo e sadio.
Sabor fino, com razoável prolongamento e com boa dose de irreverência. Estão feitas as pazes. Um vinho para prato ligeiro. Nota Pessoal: 14

Casas do ro (Regional Trás-os-Montes) Branco Colheita 2006
Numa ida até Mêda confronto-me com este vinho. Engarrafado pela Nieepoort e feito com uvas da zona. Fruta pujante. Entra pelo nariz de forma desvairada. Parece um pedaço de natureza. Asseado, sadio, vibrante. O vegetal encarregava-se de refrescar. Paladar forte, intenso. Mostrou ter porte suficiente para aguentar comida de estilo mais robusto. Enfim, uma bela surpresa. Nota Pessoal: 15,5
Pegões (Terras do Sado) Colheita Seleccionada 2008
Tudo o que disser cairá em lugares comuns. Fico-me pelo contentamento na redescoberta. Espero, no entanto, que este não morra tão depressa como o 2007. Até lá, é para beber e beber. Há sempre mais. Nota Pessoal: 15

Approbatus (Alentejo) Branco Reserva 2007
Nariz chato, sem grande coisa para relatar. Maduro demais. Ensonado e insonso.
Boca linear, plana. Falta-lhe vida, nervo. Entra rápido e sai veloz. Não vale os 10€ que paguei por ele e não merece a categoria de Reserva. Nota Pessoal: 12,5

Muxagat (Douro) Branco Colheita 2007
Outro Duriense nascido na Beira. Aromas bem envolvidos, tocando com o mesmo tom (gostei desta). Cortante. Revela algumas nuances minerais (curiosas). A fruta é tendencialmente limonada. O Verde e o amarelo são as cores que saltam à vista. Uma mão cheia de flores vão preenchendo alguns espaços em branco.
O paladar aposta na vivacidade, na alegria. Perdura na boca o suficiente para ser saboreado. Sem pontos fracos. Outro vinho branco para a comida.
Fiquei com a ideia que era capaz de melhorar um pouco mais. Nota Pessoal: 15

2 comentários:

Raul Carvalho disse...

Ó Sr. Pingus, deixo-nos de boca aberta com a nota miserável que deu ao Approbatus...

Pensávamos que era alguma coisa de jeito.

Quanto ao Pegões, ainda o temos na garrafeira para provar, mas parece ser um vinho que vale bem a pena os 3 euros e pouco que gastámos no pingo doce...

Abraços

http://do-nariz-a-boca.blogspot.com/

Pingus Vinicus disse...

Meu caro, ainda ligas ao que digo? É tempo perdido, é tempo perdido!

Um abraço