quarta-feira, Junho 03, 2009

Independent Winegrowers Association no Ritz Four Seasons 2009


"O projecto Independent Winegrowers’ Association nasce pela necessidade imperiosa de criar agrupamentos de empresas do sector vitivinícola que assegurem de forma mais eficaz a promoção conjunta dos seus produtos.
O alto standard de qualidade, a elevada consciência ambiental, uma produção totalmente vertical, reuniu na mesma iniciativa as empresas Casa de Cello/Quinta da Vegia, Domingos Alves de Sousa, Luís Pato, Quinta do Ameal, Quinta de Covela e Quinta dos Roques.
Trata-se de um Special Interest Group onde os membros participam em acções conjuntas mantendo a sua autonomia empresarial ou comercial.
Sobre uma rede de relações de cooperação e interacção activa, visa-se promover o desenvolvimento de um agrupamento de viticultores independentes de qualidade, capaz de realizar acções de marketing no mercado nacional e internacional, com intervenção nos Estados Unidos, Inglaterra, Brasil, França, Alemanha e novos países da U.E.
Para o efeito, exige-se a organização de uma plataforma promocional e a definição e execução de acções no âmbito da comunicação de marketing: imagem institucional, relações públicas, relações internacionais, gestão da participação em feiras e show-rooms, gestão de eventos, etc.
A ligação dos vinhos a eventos culturais, um portal na Internet, visitas especiais de jornalistas, apresentação do conceito Winegrowers às empresas e associação a programas de operadores de viagens ou escolas hoteleiras e de escanções, integrarão as principais actividades promocionais do grupo que pretende vir a intensificar as relações de cooperação à medida das suas oportunidades." Tudo isto foi retirado do site.

No passado dia 2 de Junho de 2009, no Hotel Ritz Four Seasons, este grupo de produtores disponibilizou, mais uma vez, a um conjunto de interessados uma prova (com alguns dos seus melhores vinhos).
Uma tarde que serviu, outra vez, para ouvir atentamente as palavras que foram surgindo do outro lado da mesa. A mim, como nabo, restava-me simplesmente ouvir com atenção redobrada. Enquanto escutava, ia vertendo para dentro do copo os diversos líquidos (espumantes, brancos, tintos e outras coisas mais).
Deixo-vos algumas fotos do acontecimento porque às vezes as imagens dizem mais que um enfadonho aglomerado de palavras (ao contrário do ano passado, não irei escrever decretos, mais ou menos extensos, sobre os vinhos que provei). Depois, andam por aí outros que, certamente, falarão mais exaustivamente do acontecimento.

Antes do fim
, saltámos para as mesas.


Risotto de lagostins e girolles, trufa preta e limão com flor de sal. Acompanhava com Quinta do Ameal Loureiro 2008 e Quinta de Covela Escolha Branco 2007. Gostei.



Peixe-galo com crosta de legumes, calamares salteados, piquillo e molho de caril doce. Acompanhava com Luís Pato Vinhas Velhas Branco 2007 e Quinta de SanJoanne Superior 2007. Não gostei por ali além. Salvaram-se os vinhos.




Lombo de novilho com trufa preta, cromesqui de foie gras e pão de especiarias, terrina de legumes e emulsão de espargos. Acompanhou com Quinta dos Roques Tinto Reserva 2006 que parecia pedir mais tempo de garrafa e Quinta da Gaivosa Tinto 2005 que estava em bom plano. Gostei da carne.

Sericaria com gelado de baunilha que teve ao lado o FLP 2007. Ambos não criaram grandes emoções.

Algumas Notas Soltas

Um Quinta das Maias Jaen Tinto 2007 e Quinta dos Roques Touriga Nacional Tinto 2007 que prometem.
O Quinta da Gaivosa Reserva Branco 2007 que parece ter subido um pouco.
Um curioso Tinto Doce Colheita de Natal 2007 de Domingos Alves de Sousa que merece ser provado.
Será difícil, ou não, encontrar palavras para descrever o Quinta do Ribeirinho Pé Franco 2006 e 2007.
Brancos da Quinta de Covela e Quinta do Ameal em bom nível. Voltar a caracterizá-los podia cheirar a besuntadelas.
Os vinhos da Quinta de SanJoanne continuaram a apresentar aquele ar austero, cheio de pedra rolada, com o vegetal lá enfiado. Os vinhos da Quinta da Vegia mostraram elegância e finura.

1 comentário:

Joel Carvalho disse...

Boa Noite Rui,

Em primeiro lugar quero elogiar essa organização. Como se diz muitas vezes: "A união faz a força"...Penso que não preciso de dizer mais nada.

Falas aí na Quinta do Ameal. Esta Quinta tem uns grandes Loureiros, dos meus preferidos...Provei na Essencia do Vinho e também à umas semanas..."Gandas" vinhos (na minha opinião)

Abraços