domingo, Agosto 23, 2009

Em tempo de férias! (Brancos e mais qualquer coisa)

Estão a dar as últimas (as férias). Diria que entraram na fase terminal (que expressão tão marcada).
Por entre raios de sol, areia nos pés, sal na cara, uma vez e outra lá fui enfiando na goela qualquer coisa.

A primeira dose servida veio da Herdade do Sobroso (Alentejo). Sobro Rosé e Sobro Branco. Ambos da Colheita de 2008. Carregados na graduação alcoólica (se a memória não falha, os dois partilhavam a mesma percentagem: 14%). Peitudos e corpulentos. Olhando para a parelha, ainda assim, o Rosé pareceu-me mais interessante, mais masculino. Não desgostei.

A segunda dose veio do Dão. Casa de Santar Branco Colheita 2008. Fazia tempo que não bebericava este vinho. Mais dócil, mais suave. Percebia-se que tinha maior apetência para a época. Porreiro, pá!

A terceira, e última, veio do Douro. Crasto Branco Colheita 2008. O nível de sofisticação era outro. Bem trabalhado, fino e saboroso. O preço pareceu-me, no entanto, a roçar o despropositado. Paguei por ele 10€ (quase 11€).

Feita avaliação final, o Casa de Santar consegue ter melhor relação-preço-qualidade.

Agora venha o trabalho que, também, faz falta.

3 comentários:

Pedro Sousa P.T. disse...

O que faz valta é avisar a malta... :) Falando em brancos, fui por ti, e " sem qualquer tédio" bebi por estes dias o Conventual reserva 2007. Foi uma óptima opção nesta altura, e acompanhou na perfeição uns filetes de peixe espada com um arrozinho de lombardo e uma saladinha mista.
Não sei se lês o Público, mas no Fugas deste sábado, achei piada à crónica do Rui Falcão ao afirmar que em relação aos brancos, cada vez mais, e ainda bem, se torna difícil chegar a uma prateleira de um super-mercado ou garrafeira, e escolher um vinho para se beber nessa noite, por exemplo. A oferta em termos de qualidade começa a ser tanta que sinto dificuldade na escolha, e os meus parcos euros não chegam para ir a todas. Este Conventual foi um caso destes, tal como o rosé Terras de Xisto 08aconselhado pelo copod3, ou Soelheiro 08, que segui o faro do pingamor etc. etc. Por iniciativa minha bebi por estes du«ias o Giro sol 08, o Lagar de Darei Grande Reserva 07, o Vila Real Grande Escolha 07 o Chaminé 08, o espumante Castas de Melgaço etc. etc... Vinhos acessíveis mas queria ter bebido muito mais. Não dá para tudo.
Estiquei-me um bocado no comentário, não?

Abraço.

Pingus Vinicus disse...

Pedro de facto começamos a ter um leque muito alargado de vinhos brancos. Pessoalmente, diria que é mais fácil encontrar um branco interessante de baixo custo do que um vinho tinto. De tal modo, que tenho optado muitas vezes pelos brancos independentemente da comida que vou fazer ou comer.

Sobre os euros e a quantidade deles, Pedro não és o único. :)
Há que levar a vida nas calmas e sem pressas.

Um abração

Susana disse...

Olá!

Quero dar os parabéns pelo blogue. É uma óptima forma de dar a conhecer o verdadeiro nectar dos deuses.

Venho por este meio fazer um convite :

De 10 a 30 de Setembro irá decorrer uma blogagem colectiva sobre vindimas e vinhos. Convido-o a participar enviando um pequeno texto (com a respectiva identificação do autor e endereço do blogue), com máximo 25 linhas e uma fotografia até dia 8 de Setembro para : aminhaldeia@sapo.pt

Para saber mais, sobre o funcionamento da mesma, queira por favor fazer uma visita ao blogue da Aldeia da minha vida. Ficarei a aguardar por si.

Abraço
Susana Falhas