sábado, julho 10, 2010

Brancos com 10 anos!?

Eventualmente, digo eu, nunca pertenceram à primeira liga. Na verdade, e olhando para o ano, não recordo com facilidade vinhos brancos de grande nomeada. A colheita 2000 foi, permitam-me a certeza, essencialmente marcada pelas chamadas bombas tintas (sempre fez confusão o uso desta terminologia guerreira). Mais tarde percebi, acho, que essa expressão definia o estilo e o preço a que eram vendidos esses engenhos enófilos. Emergiam como cogumelos em todos os lados. Passaram a ser o orgulho de cada produtor. Ai daquele que não tivesse, no seu arsenal, uma arma destas. O branco, esse bastardo, servia apenas para refrescar a goela, dar às mulheres e pouco mais.
Volvida uma década, continuamos a ser bombardeados pelos tais  projecteis, mas a artilharia parece mais diversificada, com o vinho branco a querer marcar posição forte na estratégia de cada produtor.

Findo o frequente zig zag, lanço para o ar meia dúzia de balelas sobre dois vinhos, brancos, com 10 anos. O Quinta do Cabriz (Dão) Malvasia Fina que surgiu carregado de impressões a leite creme, bem tostado. Com frutos secos, com laranja, com casca de laranja. Conseguiu, apesar de periclitante, revelar-se untuoso, gordo e fresco. O outro, do Douro, Quinta dos Ramozeiros, ergueu-se seco, com mais fruta. Melado, com menta. Fino, talvez quiçá, mais delicado que o Cabriz, mas curiosamente mais interessante.
Foram, e é o que interessa para o caso, dois momentos de aventura enófila. Duas garrafas saudáveis que conseguiram guardar, em condições razoáveis, vinhos capazes de oferecer gozo. As notas, essas malvadas, não apareceram. Não apeteceu. Ó diabo!

9 comentários:

João Barbosa disse...

Bucelas velho são de deliciar. Colares (branco) também. tenho bebido bons VVerdes interessantes.
.
mas o que dizer, gosto de vinho velho

Miguel Pereira disse...

Rui, tenho saudades do Ramozeiros. Bebi muito o reserva 2003, que se comprava no Culto do Vinho. Um grande vinho com um bom preço. Ainda tens mais?

Pingus Vinicus disse...

É verdade Miguel, o Ramozeiros era um bom vinho a bom preço. Comprei muitas. Já não tenho nenhuma. Esta, veio por intermédio de outro louco por coisas velhas, o Pedro Brandão.
Aliás, foi ele na altura que me aconselhou o vinho.

Ó Barbosa, por acaso também gosto de provar, melhor, beber uns vinhos velhos. Mas falas aí de algumas coisas que nunca tive a sorte de tocar: os colares velhos.

OLGA CARDOSO disse...

E vinhos verdes velhos (+ de 10 anos) conhecem? Acreditam na sua longevidade?
Gostaria das vossas opiniões.

Pingus Vinicus disse...

Olá Olga, vieste de férias e começas a colocar perguntas difíceis. ehehe

Vinhos verdes com 10 anos? Existem?

Com muita pena minha, não tenho qualquer opinião formada sobre o assunto, porque não tive qualquer contacto com vinhos verdes com essa idade.
Uma vez o João Pedro Araújo da Casa de Cello confidenciou-me que alguns Leira Manca tinham evoluído muito bem.

Chapim disse...

Caro Rui,
o último branco de 2000 português que bebi foi o Escolha Vergílio Loureiro de Cabriz que estava completamente arrebentado.
Nestas "idades" a guarda conta muito também...

Abraço e boas provas!
Chapim

Pingus Vinicus disse...

Rui Chapim, é verdade que vinhos, com esta idade, estão muito dependentes da guarda e variam muito de garrafa para garrafa, logo é muito difícil, para mim, avalizá-los, porque não tenho "pontos" de comparação. Se abríssemos outra garrafa, o resultado seria outro, em muitos casos pior.

Autêntica roleta russa. De qualquer modo, é sempre uma satisfação beber um vinho evoluido em estado/razoável estado de saúde e que dê prazer, é claro.

Um forte abraço

rei dolce disse...

boas,

acabo de chegar de Colares, e comprei duas garrafas na Adega Cooperativa de Colares.
Um branco de 2005 e um tinto de 2004.
Nunca provei vinho desta região, devo guardar mais algum tempo ou pelo contrario devo já provar/beber os vinhos?

abraço a todos

Wservir disse...

Boa tarde,

O seu blog / Site chamou a atenção dos nossos colaboradores pela qualidade das suas receitas.

Ficaríamos muito gratos se você regista-se o seu site / blog no Petitchef.com.

Ptitchef é um diretório com as melhores referências de sites de cozinha na web. Centenas de blogs espalhados pelo mundo já estão registados, aproveite para conhecer o site Ptitchef.(www.ptitchef.com ou http://pt.petitchef.com)

Neste momento contamos com mais de 150 000 visitantes por dia e enviamos mais de 200 000 emails com o menu do dia, se adicionar o seu site / blog e colocar a nossa TAG no seu site poderá receber milhares de visitantes, esperamos a sua inscrição.

Para se inscrever no Petitchef clique aquí http://pt.petitchef.com/?obj=front&action=site_ajout_form ou no link http://pt.petitchef.com e clique em "Adicionar o seu blog-site" sobre a barra laranja.


Visite também o novo site ligado ás artes: http://pt.creatiblogs.com

Se já se encontra registado no Petitchef, agradecemos a sua participação e pedimos-lhe o favor de nos ajudar a divulgar este site pelos seus amigos.


Atentamente,

Octávio
Ptitchef.com