quinta-feira, Julho 08, 2010

Quinta da Ponte Pedrinha (Dão) Branco Colheita 2009

É, ainda, com emoção que recordo o dia passado nesta quinta. Um recanto ali à mão de semear que, quase, não se faz notar. Depois o espaço está impregnado de uma feminilidade invulgar. Era um mundo comandado e governado por mulheres.

O vinho é simples, mas não papalvo. É franco no trato, não finge ser aquilo que não é e que não pode ser. É sincero. Recordo, mais uma vez, as palavras da Catarina: isto é o que a natureza dá
O objectivo, digo eu, é ser fresco, é dar prazer, é fazer-nos engolir mais um trago, mais um gole.
Os cheiros e sabores surgiram empertigados de sensações secas, num registo conservador e pouco dado a exostismos desmesurados. Para um vinho branco, de baixo custo, não é normal este comportamento. E bebam-no.

Post Scriptum: Vinho enviado pelo Produtor.

2 comentários:

Gus disse...

Tenho de provar este 2009.
Ontem voltei a provar o 2008 e ainda está muito bem.

João Barbosa disse...

gostei bastante