quarta-feira, Dezembro 15, 2010

RAYA

Vem da Beira Baixa, Cebolais de Cima, de uma região com fraca tradição vitivinícola, o que torna este pequeno projecto, fundado no ano de 2002, numa peleja desafiante, tal é a ordem de contrariedades, com a falta de reconhecimento da região, por parte do consumidor, a tomar a dianteira.
Escolheram-se as uvas das castas Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz que foram fincadas, seguindo os preceitos da agricultura biológica, numa única parcela de vinha (1,5 ha) assente em solos de encosta, xistosos e com exposição a Sul.

O vinho, com um nome a orientar-nos para regiões junto à fronteira portucalense-castelhana, mostra carácter franco, descomplicado e aprazível. É limpo e, se me permitem o abuso, cristalino. A fruta apresenta-se sem máscaras e sem artefactos. Oferece-nos, simplesmente a natureza. Madeira bem enfiada, sem sobreposições. É um vinho de vida, para a vida e para ser vivido. Tudo apresentado de forma tão simples e verdadeira.
Ao fim ao cabo são estes pequenos achados que vão animando, por momentos, esta enfadada enofilia. São o resultado da abnegação de uma mão cheia de ideólogos que vão criando vinhos em lugares mais ou menos obscuros, longe da vista de todos nós. Ainda bem que o sonho comanda a vida. Ainda bem!

Post Scriptum: Vinho enviado pelo Produtor.

5 comentários:

sinnercitizen disse...

caro Pingus,

Cebolais de Cima, é a terra do meu avô... que depois "emigrou" para a zona de Belmonte, ali bem perto da Quinta dos Termos... Este vinho deduzo eu, que só estará disponivel nas garrafeiras, certo?

Forte Abraço,
Pedro Almeida

Pingus Vinicus disse...

Pelo que sei a distribuição é feita directamente pelo produtor em alguns locais da zona de LX

Forte abraço

O Regedor disse...

Este blog está a tornar-se uma especialidade no que toca a vinhos étnicos/menos usuais/comerciais, etc.
Muito bem. Vale a pena vir aqui e sair sempre dos mesmos nomes.

Abr

Abílio Neto disse...

Pingus,

"Alguns locais" é onde? Obrigado.

Abr.,

An

PS: Viu-o num wine-bar... nada mais!

Pingus Vinicus disse...

Olá Abilio, segundo o produtor, o vinho é distribuído essencialmente de forma directa e, em alguns restaurantes de referência em Lisboa como: 2780 Taberna, Taberna Tosca, G-Spot.
Mas posso perguntar por garrafeiras.

Um abraço