sábado, janeiro 15, 2011

Quinta do Corujão e a arte da simplicidade!

Como sabem, julgo eu, pretendo ou desejo, por entre os vinhos que vou bebendo, a singeleza, a empatia, a concordância entre mim e a bebida que vai surgindo defronte. Tenho apreço por estes vinhos, deste género, que foram idealizados, à priori, para simplesmente serem bebidos, relaxadamente e de forma desinibida. Torna-se, cada vez, mais custoso, mais árduo, conseguir que esta conjugação de factores, tão puros e de tão fácil interpretação, aconteça mais amiúde. Tal desiderato é, em muitos casos, considerado excêntrico e, na maior parte das vezes, despropositado. Quem pensa assim, é julgado com menoridade e desprimor.

Há que, por isso e por causa disso, registar um desses momentos, em que a ligeireza de conteúdo, a pureza quase descabida surge no horizonte de um homem. Vinho e comida, sem rococós, estão despidos de adornos exacerbados. A etnicidade, a identidade de um povo, é levada ao expoente máximo.
O vinho, de uma pequena casa que segue a escolástica mais clássica, infelizmente quase extinta, do Dão, relembrou-me que ainda existe povo nesta terra que trabalha segundo critérios aparentemente distantes das práticas mais modernistas. Depois, facto engraçado, é desejado e expedido para terras do Norte da Europa, onde segundo consta são cobiçadas coisas leves, frescas e sem excessos de maturações. Curioso, não?

Post Scriptum: Continuem a participar no Exercício. O vinho foi oferecido pelo Produtor.

9 comentários:

João de Carvalho disse...

Fiquei sem saber o que pensas do vinho em causa...

Pingus Vinicus disse...

Está lá tudo dito! "Vinho e comida, sem rococós, estão despidos de adornos exacerbados" "pureza quase descabida" e "pretendo ou desejo, por entre os vinhos que vou bebendo, a singeleza, a empatia, a concordância entre mim" estou a definir o que gosto e logo o vinho terá esse estilo e que aprecio. Está bem explicito!

Está lá tudo! Depois o enfoque era outro, não a nota de prova, era ausência de simplicidade que muitas vezes não existe.

Parece que vais andar, agora, sem saber o que eu penso...

AJS disse...

E deve casar bem com o bacalhau cozido com grão? Ou é engano meu?

Pingus Vinicus disse...

Não é engano teu :) A acidez limpava a boca. Companheiro, tudo muito simples.

João de Carvalho disse...

Coisas simples lembram-me vinho fácil e sem interesse qual Duque de Viseu.

Pingus Vinicus disse...

É uma opinião. O conceito de simples, para mim, é bem diferente! Mas mesmo pegando no Duqe de Viseu, quem sabe se às vezes não sabe bem!

Raul Carvalho disse...

Pingus, tenta ser mais directo aos assuntos... Fiz uma pesquisa no teu blog, nos teus primeiros post´s, e realmente se percebi bem melhor o que achavas dos vinhos em causa...
Como teu amigo, nao sejas tão "poético", sê directo.
Digo-te isto, porque sou teu amigo...
Faz uma revisão nos teus post´s anteriores e verás que tenho razão...

Abraço Miguel

Raul Carvalho

Pingus Vinicus disse...

Pois, então procura noutros lugares!

Provavelmente não entendeste, não serás o único, nada do que tenho andado a dizer nos últimos dias! A culpa será minha porventura!

Hugo Mendes disse...

Desculpem lá, mas eu gosto!
Poesia nunca fez mal a ninguém! Será que temos mesmo de continuar com esta coisa de simplificar, simplificar, baixar a fasquia! No ensino tem-se feito isso a troco de números e o resultado não tarda a chegar ao mercado!
Com tanto blog que fala e refala de vinho! Com tanta prova repetida, não pode haver um que procure uma maior erudição? Acho que pode! Acho que deve!
Reparem. Há muito que o Pingus definiu que o interesse primeiro é ter prazer no que faz! Se a poesia lhe dá prazer, eu aplaudo… de pé!
Já agora deixo dois pontos para reflectir!
1) Dos blogs que provam vinho, este é o único onde todo e qualquer post tem comentários, mesmo os que são simples apreciações de vinho! Isso a mim dá-me que pensar, já que, dizem os livros, o que conta na social média é a interactividade, não o numero de visitas (pois não sabemos se caíram lá por acaso ou se foram direito)!
2) Na estatística do meu blog, quando consulto a origem do tráfego, só me aparece um blog. E é este!
Estes 2 pontos dão-me muita informação sobre o papel do Pingas no Copo no panorama nacional!