terça-feira, Maio 31, 2011

Melhor que isto, não há!

Hum...o dedo martela na tecla: tac, tec, tac, tec. O que devo palrar? Tac, tec, tac, tec. Faço um descritor? Tac, tec, tac, tec. Vou largar conhecimento, douto por sinal, ou simplesmente continuo a comportar-me com agente publicitário? Hum...fico, por vezes, com a ideia que rondam, muito perto, uns estranhos tiques de marketeer ou, como disse, publicitário nada encartado. Em troca de vinho, grátis, digo bem dele. Quando não gosto, uso pimenta doce e meias palavras. É um circuito directo, sem intermediários, sem outros intervenientes. Uma linha recta e sem desvios. 

Já viram o que se poupa neste processo de divulgação? Feitas as contas, temos apenas uma botelha, a embalagem e os portes, a pagar, de preferência, pelo remetente. Do outro lado da linha, está sempre um individuo, muito disponível, para receber o produto, avaliá-lo de forma muito independente e íntegra. É claro, que o destino final é consumir o tal produto, sozinho ou, de preferência, com uns amigos. Basta, depois, debitar duas ou três linhas e chancelar com uma nota. Existe processo mais ligeiro que este?

22 comentários:

PBrandão disse...

Faltou-te um comentário: tens de multiplicar isso pela parafernália de comentadores desportivos que anda por aí... se calhar começa a sair mais caro! Que saudades dos bons velhos tempos, da sua inocência e candura! É pá, afinal não são assim tão velhos, é só andar 3 ou 4 anos para trás e tudo era bem mais bonito...

João de Carvalho disse...

Até o Pingas... hahahahahahaha

Pingus Vinicus disse...

PBrandão, é só andar 3 ou 4 anos para trás e tudo era bem mais inocente e se calhar a coisa já não deve ficar, agora, tão barata.

Até o Pingas? Não percebi :)

Hugo Mendes disse...

Pingus…
Dá gosto ler o que escreves. Dá gosto perceber que pensas. Dá gosto observar a simplicidade e humildade do teu discurso. Dá gosto ver o poder de desconstrução e a capacidade de te pores inclusivamente em cheque.
Homem… tu és grande!
Abraço

Rui Lourenço Pereira disse...

Pingas,

Porque não compras umas garrafas para escrever sobre vinho. Falares sobre nada não interessa.

Vai ao PD (salvo publicidade) e compra Ilógico, Altano, Encostas d'Alqueva,.....todos eles abaixo dos € 2. São menos uns cafés que bebes.

Anónimo disse...

menos de dois euros???

Pingus Vinicus disse...

RLP, agradecido pelo conselho. Vou tomar nota, epá mas gosto muito de café!

Rui A. Teixeira disse...

Pingus,

Sem querer de forma alguma ser indelicado, até porque já por diversas vezes manifestei o meu apreço pela “forma” quase poética com que nos brindas com os teus artigos, não posso deixar de aludir esta simples reflexão.

A quem interessa esta dita desconstrução, quando feita em praça pública? À dita inocência e à candura de outros tempos? Aos visitantes dos blog´s que buscam opiniões sobre os vinhos que publicamos? Aqueles que de uma forma ou de outra não passam de meros espectadores na esperança que o circo pegue fogo? Ao legítimo EGO de cada um? A QUEM?


Abraço.

Pingus Vinicus disse...

Estimado Rui, se me conhecesses irias ver que não ficaria melindrado. Gosto de discutir, mesmo que para alguns, seja nada ou o sexo dos anjos, que como sabes, segundo alguns não têm sexo. Gosto de discutir, não vou mudar...

A mim, serve e interessa fazer essa desconstrução como aludi no principio deste ano. Parece-me, no entanto, que estou a falhar no meu propósito.

Depois, e o que está em jogo é fracturante, é que eu acho que devemos falar em público, porque seria sinal de enorme maturidade. Sem medos, mas tudo se joga, tristemente, numa lógica de ataque pessoal, e não no campo das ideias. Infelizmente!

Sabes Rui, parece-me, segundo o mainstream blogger estou errado. Sou ave que canta outra música. É Melhor? Decerto que não!

Agora, sobre o texto, coisa simples, éfemera, é no fundo uma parábola sobre o que fazemos...eu incluido. Não é?

Abraço

Rui Lourenço Pereira disse...

Todos a € 1,99 mas arranjo mais referências com bastante interesse a este preço.

Miguel Pereira disse...

Eu gostei de ler...é o espelho do que se passa.

Rui, grande abraço (está tudo bem convosco?)

Hugo Mendes disse...

Se me permitem a achega, gostei muito de ler o comentário do Rui Teixeira, assim como a resposta do Pingus.
A minha opinião pessoal é que vale a pena discutir em praça pública sim, pois, se existe um movimento (e não estou a afirmar que exista) é de todo o interesse que seja discutido abertamente. Os argumentos que aqui possam ser apresentados só o podem fortalecer e ajudar a hierarquizar.
Tenho a forte convicção de que os produtores, mais cedo ou mais tarde serão obrigados a conhecer a net e a forma correcta de aqui andar. Aí, by by amostras em catadupa para tudo o que mexa.
Esta discussão é “antiga” e sei, por experiência que a resistência costuma ser forte. Aprendi a respeitar opiniões, mas, tal como diz Gary V no seu mais recente livro (que por sinal é novamente brilhante), não basta andar por aqui para se afirmar que se está a fazer trabalho de promoção.

Pingus Vinicus disse...

RLP, mais uma vez agradeço a tua opinião. Mas diz então ao "povo que anda cego" quais são as tuas propostas!

Miguel, não costumo referenciar pessoas, mas estou a gostar do que andas a fazer ultimamente. Continua assim, sem vacilar!

Rui Lourenço Pereira disse...

Realmente não percebo. Será que os produtores mandam assim tantas amostras??? Eu pessoalmente não peço uma amostra vai para mais de ano e meio e é extremamente pontual receber amostras dos produtores (no máximo 2 garrafas por trimestre). No caso particular do meu blog há quem goste e quem não goste, mas fazer isso cavalo de batalha por causa de amostras?!?!?! Gasto vários ordenado mínimos por ano em vinho, vou-me chatear por causa de amostras?!!?!?
Quanto a propostas de vinho Rui, sugiro uma visita ao Eleclerc e Intermarché para veres a parafernália de vinhos interessantes a bom preço.

Sérgio Lopes disse...

Faço minhas as palavras do RLP. Gastamos muito dinheiro em vinho e é raro recebermos amostras. No nosso caso, é a paixão e o enorme przaer que nos levou a escrever. Apenas isso.

Pingus Vinicus disse...

Enfim, é o que digo, estou mesmo deslocado do mainstream...e a coisa afunila sempre e sem falar na enorme incapacidade que demonstramos para brincar, gozar, divertir, com as nossas limitações e com o que fazemos. Levamo-nos muito a sério e acho que não devíamos...

João Inácio disse...

Eu, como não me posso aborrecer, não faço crítica, não dou pontos ― e, por consequência, não tenho leitores e não recebo «amostras». É um descanso.
Cumprimentos!

Pingus Vinicus disse...

João Inácio, clap clap clap (palmas) para o teu post!

Abílio Neto disse...

Caros,

Eu estou de baixa a grandes conversas sobre vinho, mas isso não quer dizer que não trabalhe... bebo!

Abr.,

An

Pingus Vinicus disse...

Abílio, também bebo. Provar, só de vez em quando! :)

Elias Macovela disse...

Eu não peço amostras e nem dou pontos, não é esse o objectivo do meu blogue. Gasto muito dinheiro em vinho e procuro participar em todas as provas que se realizam em Lisboa.
Elias

Pingus Vinicus disse...

Elias, longe de mim ditar a linha de pensamento dos outros, mas digo-te que gostei de ler as tuas palavras.