quinta-feira, Julho 14, 2011

Graham's Vintage 2007

Não há tempo, nem dinheiro para esperar. Há que bebê-lo agora, e sem demoras. Desta vez, não contou a regra de que o vinho velho é sublime. É-o de facto, e acredito no que ouço, mas gosto, também, de um vintage bem novo e retinto, bruto e duro, com a pele bem esticada e servido fresco. É chorrilho de emoções. Um deboche total.  Puro desregro!

Este Graham's está punjente, está cheio. Merece também, e sem margem para dúvidas, vinte valores.
E pronto, foi devorado, num ápice, antes que o FMI o levasse também.

3 comentários:

Emilio disse...

Caro, cá nâo fales do FMI. Este é um blogue festivo, da prazer e alegria. O FMI e a Moody's só dâo merda (e disculpem tud@s).
E agora uma pergunta do teu amigo nâo experto: os Portos tém de ser bebidos o día que sâo abertos? Ou podem-se guardar por mais um tempo?
Abraço, Rui.

Rui Lourenço Pereira disse...

Emílio, no caso do Vintage, este aguenta toda a sua plenitude até às 2 horas após a abertura. Por esta razão antigamente os Vintages eram redondos por baixo para não poderem ser pousados.

Emilio disse...

Muito obrigado caro Rui!