quarta-feira, Fevereiro 29, 2012

Sucesso vs Insucesso

Eventualmente sem sentido, sem argumentos, e sem qualquer interesse, apraz, no entanto, lançar mais um articulado par o meio da arena enófila, que tanto aprecia modelos inalteráveis.
Fala-se, exaustivamente, de sucesso e de insucesso, de preferências, de escolhas e tendências. Discute-se, e sem razões lúcidas, sobre os motivos que levam alguém beber determinado vinho ou optar por uma região em vez de outra. Azares da vida? Falta de boa critica? Riscos mal medidos? As causas, por muito que custe, estão quase sempre a nascente, dentro de casa, fazendo lembrar a velha máxima: dormindo com o inimigo.


Esquecemo-nos que há um punhado de gente que guerreou, desenhando um caminho longo, despido de qualquer preconceito e livre de conspirações irreais. Deitando para o lado, torneando literalmente os emaranhados legais, as redes de influência com malha mais ou menos nacional, mais ou menos regional ou mais ou menos local. Miraram o mundo e viram que a realidade, defronte dos seus olhos, era bem maior, grande e sem barreiras. Sem a fantasmagórica teoria dos nós e dos outros.
Faz confusão, à falta de palavra mais dura, que o êxito, em Portugal, seja olhado de soslaio, de lado e de forma desprezível. É-se amado fora de casa. Estranho canto ibérico.

1 comentário:

airdiogo disse...

"Esses [Portugueses] são uns loucos" diria certamente Obélix se nos visitasse. Por Tutatis, são mesmo.