domingo, março 11, 2012

Alvarinho, Anselmo Mendes e o Pingo Doce

Faz espécie, até ao momento, que nenhum dos fazedores de opinião, de carreira, se tenha lançado na abordagem, na análise, na exploração do universo em que os vinhos de marcas brancas vivem. Parece-me, julgo, que existe matéria suficiente, e em boa quantidade, para trabalhar e acima de tudo esclarecer o consumidor. Há um efectivo esquecimento, propositado ou não, desta realidade. Salva-se o Amândio que regularmente vai dando conta das suas impressões sobre esta matéria.


Este alvarinho, produzido e engarrafado por Anselmo Mendes, é, com toda a certeza pessoal, um óptimo exemplo de que a qualidade não é desprezada nesta linha de produtos.


É perceptível, na colheita de 2011, a panóplia de cheiros e sabores bem conseguidos. Com uma elegância que não se espera e que surpreende. Acresce-se, ainda, o facto do rótulo estar mais bem conseguido que no passado.


Alie-se o preço, menos de quatro euros, e temos os predicados necessários para uma excelente relação qualidade-preço. Provado e aprovado. E sem qualquer acanhamento, da minha parte, aconselho aos amigos e também, vá lá, aos inimigos.

7 comentários:

Pedro Sousa P.T. disse...

Realmente o rótulo 2010, não tinha nada a haver com nada. Um vinho para tempos "troikianos" com muita qualidade. E para além do mais, os holandeses também agradecem... ;)

Pingus Vinicus disse...

É verdade :)

momenta disse...

Nunca publiquei nada sobre este alvarinho Pingo Doce, mas acompanho-o desde 2009, sempre muito bom. Companhia frequente e prazer garantido a preço acessível (menos de metade dos companheiros de prateleira). Bem apanhado, ainda não o vi pelas minhas bandas.

Anónimo disse...

Caro Pingus,
Pessoalmente sinto algum preconceito em comprar vinhos de marca branca... todos os que bebi são bons e este é um exemplo. Mas na hora de escolher...
Para fastar o meu sentimento de culpa, penso no seguinte: se comprar outros vinhos estarei a ajudar mais o produtor (muitas vezes pequeno ou médio) e não a Jerónimo Martins (contra quem nada me move, mas que não necessita do meu "carinho").
E assim passei a ter desculpa para não comprar marca branca!
Agora, se este alavarinho é o melhor na sua gama de preço... o caso muda de figura!
Abraço,
Duarte

Pingus Vinicus disse...

Caro Duarte, percebo perfeitamente o seu ponto de vista e olhe pensei no assunto enquanto estava a beber o vinho.

De qualquer modo, e neste caso, fiquei surpreendido, posso estar errado é claro, com a qualidade que demonstrou.

Um abraço

CM disse...

Não creio que estejas errado.. para o preço e olhando ao espectável neste género de produtos, este vinho surpreendeu pela positiva. Segue a minha opinião sobre o rosé:

http://copodesaltoalto.blogspot.pt/2012/03/vinhos-pingo-doce.html

pikao disse...

A minha modesta opinião é bem diferente dos usuários...gosto bastante de apreciar vinhos e como não podia deixar de ser, provei este alvarinho do tão bem falado Enólogo Anselmo Mendes (vi inclusive uma entrevista na tv que gostei). Quero fazer um " a parte" e referir que tenho uma referência dos produtos marca Pingo Doce achando-os de qualidade MUITO BOA...um destes dias, eu e o meu pai resolvemos provar então este referido Alvarinho e tenho a dizer que foi uma completa desilusão...cor limpa e bonita mas palato pouco persistente, final quase imperceptivel e sem aroma...é apenas a minha opinião...mas abram uma garrafa de Alvarinho (por preço também económico e não das de mais que posso exemplificar) ao mesmo tempo, provem e comprovem...abraços