segunda-feira, abril 23, 2012

O Livro Branco do Dão

Terá sido, por certo,  com cara de assombro que alguns daqueles que regularmente dão uma vista de olhos no que se escreve aqui,   repararam na conjugação que titulou o post. Acredito, eventualmente, que estarei a hiperbolizar em demasia a minha personagem no contexto em que circula. 


Apesar da possível postura bicos de pés em que me coloco, creio profundamente que seria e/ou será importante que fosse criado um Livro Branco (já existe?), despojado de suspeitas, franco, e que apontasse claramente um conjunto de caminhos para a região do Dão. Um Livro que aborde o passado, o presente, o futuro, que visões mais ou menos clássicas possam arguir com olhares mais modernistas. 


Há, nesta fase, a necessidade imperiosa de confrontar perspectivas, ideias, criar consensos, alavancar um potencial que está, decididamente, muito mal aproveitado. E que se deixe de falar em surdina.


É urgente constituir um pólo de dinamização que se dedique, livre de tradições tribalistas, na promoção efectiva da região, levando-a regularmente até às grandes malhas urbanas de Portugal e do Mundo, e que de forma mais global consiga trazer até ao seu âmago agentes com real capacidade para promover e divulgar. Que não sejam, apenas, fogachos esporádicos, inconsequentes, que mais não servem do que alimentar egos individuais. Que sejam verdadeiramente mais valias. A região não pode ser, ano após ano, constante promessa adiada.


Custar-me-ia, a titulo muito pessoal, que os diversos players, aqueles que fazem e vendem vinho by Dão, não consigam sair, e não queiram, do marasmo mortal em que vivem, preferindo maldizer. Posto isto, o desafio está lançado. Passo, agora, a palavra a quem queira. O propósito é ir preenchendo as folhas que, ainda, estão em branco.

5 comentários:

Do Dão... disse...

Ninguém saber da tua opinião...

Anónimo disse...

Do Dão, todas as opiniões são bem vindas mesmo que não se concorde com elas. Mas porque não quer saber a opinião do Pingus Vinicus?

Anónimo disse...

Ao senhor do "Dão"!
Com esse espirito continua-se no Dão a vender promessas que nunca se concretizam!!! Com esse espirito arrogante de quem sabe tudo e senhor dos melhores vinhos do mundo no pensamento proprio....da-se pelo Dão a ficar nas catacumbas da historia ultrapassados por pensamentos arrojados e audazes de outras regioes.... e depois digam que os outros andam a fazer coca-cola e no dão nao se faz disso...parece-me desculpa de quem perde.....venham mais venham todos, o dão do tera a ganhar!!!

Pingus Vinicus disse...

Meus caros anónimos, dou de barato que a minha opinião não seja mais do que barulho e ruído.

Fica, apenas, a mágoa de ver que se discute em surdina.

Anónimo disse...

Sou do Dão e confio e tenho paixão pelo seu potencial. Como não me contento pelas palavras, em breve passarei aos actos. Espero que outros me acompanhem.

Parabéns pelo blog