sexta-feira, novembro 02, 2012

O Alentejo, o chocolate, os tostados e a fruta preta

No prefácio do painel de prova sobre vinhos tintos alentejanos, realizado pela Revista de Vinhos, a dada altura é referido que os vinhos alentejanos estão mais frescos, mais elegantes e menos concentrados. Palavras que indiciavam uma mudanção de (cento e oitenta graus) no estilo dos vinhos da planície.


Passando, posteriormente, os olhos pelas notas de prova dos diferentes vinhos, fica a ideia, a minha, que havia qualquer coisa que em a bota não batia com perdigota. Tudo, ou em grande parte, apontava para sugestões que, julgo, não fazem parte do léxico característico de vinhos menos concentrados, mais elegantes e menos maduros.
Palavras como chocolate, fruta preta, tostados, alcatrão ou tinta da China, eram repetidas até à exaustão. Após a leitura da dita resenha descritiva, fiquei, eu, simplesmente confuso. Afinal mudaram ou não?

4 comentários:

Antonio Madeira disse...

Ola Rui Miguel,
Por acaso hoje ao jantar abri um vinho alentejano. Ja ha bastante tempo que não abria nenhum, mas hoje apeteceu-me abrir uma das poucas que me restam na garrafeira.
Tratava-se de um Dona Maria Reserva 2004.
Muito bom, tava-la o cacau, mas tambem a mineralidade, alguma fruta de caroço tipo ameixa preta, muito polido, potente, seco e fresco na boca. Mais do que o estereotipo que descreves no post, lembrou-me curiosamente um Baga da Bairrada.
Abraço
To

Pingus Vinicus disse...

Olá Tó, por acaso não deixa de ser curioso essa comparação.

Amândio Cupido disse...

Estão menos madurões :)

Anónimo disse...

mas nao de uma forma generalizada como a rv deu a entender...