quinta-feira, Fevereiro 07, 2013

Quinta do Escudial: Outra vez!


É puro efeito de repisagem (palavra que li, agora mesmo, em determinado relatório). Ao procurar, em dicionário, o significado de tal erudita palavra, nada melhor que usá-la para chave mestra da epístola de hoje: voltar a soltar língua, outra vez, sobre o branco da Quinta do Escudial. Simplesmente, portanto, repetir assunto.
 
 
 
E por que os vinhos foram feitos para serem bebidos, pois sabe-se lá o que vem para aí, não tinha sentido guardar, por mais tempo, esta garrafa. É bebê-la e prontos (como se costuma dizer em linguagem de rua). O resto logo se vê (ou não). 
 

O vinho que é da colheita anterior a este, está longe de morto ou longe de morrer. Escolham. Continua tenso e fresco, empachado de geleias. Vinho que se bebe num ápice, que pede mais uma taça, que acompanha comida. Vinho que hoje serviu para adormecer pensamentos, atenuar algumas mazelas. Perfeito, portanto!