quarta-feira, maio 01, 2013

Encruzado by Quinta do Serrado

Ainda sob o efeito do #whiteday, ainda sob o efeito da dependência excessiva que tenho sobre a região, envolvi-me, isso mesmo, com outro vinho branco, feito, construído, desenhado a partir da casta encruzado. Um vinho que, também, não conhecia. Um vinho que urgia conhecer, interpretar, perceber, entender e fatalmente beber. Destino de todos os vinhos. E desgraçados daqueles que não conseguem cumprir o seu desiderato final. Algo não correu (ou corre) bem.



Um vinho que acompanhou-me durante, imaginem, três dias. Vinho que foi evoluindo, melhorando, quebrando amarras, libertando ideias, soltando cheiros e aromas. Aqui e além, parecia dizer que ainda estaria novo, muito novo, talvez demasiado jovem. Mas melhorou muito, veja-se lá, ao terceiro dia. Gostei da sua dureza, da sua austeridade, do seu poder, da sua força. Talvez porque, durante esses dias, precisasse de uma âncora, de um suporte, de um apoio. 



Foi, ainda, vinho que acompanhou comida, de qualquer género, que acompanhou pensamentos, actos e omissões. E foi sendo bebido, até à derradeira gota, até não restar qualquer réstia da sua presença. No fim, olhei para ele sorri com ar de satisfação. Valha-nos isso...

3 comentários:

Anónimo disse...

Caro pingas. Hoje o meo comentário não é sobre o texto em si, mas questionar-te. O que se passou com o site do planeta vinico? O que se passou pela cabeça do hugo mendes (encerrar algo tão importante como este blogg? Eu conheço-o pessoalmente e alías foi ele que me aconselhou ler o teu blogg?sabes elucidar-me? Alda

Pingus Vinicus disse...

Alda, não querendo meter a minha colher em seara alheia, mas responsabilidade pelo Planeta Vínico é do Diogo Rodrigues, não do Hugo Mendes. Agora, fico é preocupado é saber que ele aconselhou-te o meu meu blog. O meu blog é tudo, menos um blog de jeito e com interesse...

Anónimo disse...

È uma pena porque realmente a unica coisa decente que tinhamos onde poderiamos encontrar algo de jeito acabou. Eu espero que hugo faça algo de jeito e não desista de escrever. Não tens de te preocupar acho que hoje em dia andamos todos à nora neste país. Bem continuarei a ler-te seja de jeito ou não..Alda.