sexta-feira, Junho 21, 2013

Quinta do Perdigão: Encruzado

Bem dito dia: Sexta-feira. Repetem-se os procedimentos: Sapatos e roupa para o lado. Veste-se qualquer trapo, pois quer-se estar solto, livre e sem pressas. Temos ainda tempo.




É o dia do desregro  e como tal escrevo-vos de copo na mão, completamente desligado de tudo que me cerceia. É como se estivesse numa cúpula opaca, afastado da realidade. E hoje, não nos esqueçamos, é dia de solstício de Verão. E continuando a vida, como arauto de qualquer coisa, inclinei-me para mais um encruzado, para mais um vinho branco.




Vinho com aspecto sério, nada frívolo. Um vinho branco que impõe algum respeito, que coloca-nos em sentido. Aromas e sabores secos, despido de toda e qualquer tonteira exibicionista. Um vinho que irá acompanhar-me nas próximas horas, nos próximos momentos até que a garrafa, de rótulo bonito, fique completamente vazia. Parece-vos mal? Parece-vos exagerado? A mim, parece-me bem, muito bem. É sinal que foi vinho que deu muito gozo. O resto, perdoem-me, não interessa, pois é conversa para encher o saco.

3 comentários:

Rui Oliveira disse...

Grande vinho, um encruzado com caracter e algo diferente...sim seco sem duvida e muita frescura! O rotulo é lindissimo, é daquelas que comprava apenas pelo rotulo...o conteudo neste caso fazia o resto!

Flavio Henrique disse...

Caro,
Os Quinta do Perdigão são ótimos! Lembro com gosto de um Touriga Nacional 2001 que bebi anos atrás. Um dos melhores TN que bebi! Preciso beber esse Encruzado (e outros tantos feitos com a casta).
Abraços,
Flavio

Vitor disse...

Bom dia!
Opa! Procurando dicas de Encruzados, cheguei até aqui. Vou procurar por este.
Abraços,
Vitor
loucoporvinhos.blogspot.com.br