quinta-feira, Agosto 01, 2013

O Tempo

Não é sobre vinho, na verdade não é sobre nada. Nunca o foi e não será hoje. É pura liberdade de ser, por mais uma vez, louco. 
O tempo é tramado, não (nos) dá hipótese. Ou é cedo de mais, ou é tarde de mais. Nunca acertamos no tempo, na hora, no momento. Nunca conseguimos encontrar a tal hora certa. Na verdade, ela não existe. Nunca existiu.


Maldito tempo, que devia ter sido impedido de ter avançado no tempo. E, no meio disto tudo, assola-me um pensamento: andará o tempo sem tempo ou estará, ele, cansado de esperar há tanto tempo?

3 comentários:

Eduardo Lima disse...

Meu caro, Pingus, o tempo é como vinho ruim alentejano: não existe!

Que prazer revê-lo!

Pingus Vinicus disse...

Eduardo, há quanto tempo! Que prazer!

Anónimo disse...

ah ah ah ah ah ah
NÃO EXISTE UM VINHO RUIM ALENTEJANO????
pois não, não existe SÓ um, existem MUITOS.

esta, realmente, dá-me IMENSA vontade de rir

Gonaçalo