quinta-feira, novembro 07, 2013

Douro: Quinta da Zaralhôa

Não conhecia, nem tinha qualquer referência do nome. Portanto, e tão simples quanto isso, nada dizia este vinho. Mas independentemente de qualquer conhecimento, mais ou menos profundo, mais ou menos detalhado, devo dizer (vos), com toda a sinceridade, que a curiosidade foi despertada. O próprio nome, Quinta da Zaralhôa, também espicaçava.


Segundo as exaustivas investigações realizadas, o vinho, em causa, vem do Douro Superior. Algures para os lados de Freixo de Numão.


Vinho que procura abranger de forma coerente diversos consumidores, diversos estilos, gostos e preferências. Um vinho tinto que se mostrou, assim pareceu, fresco e suculento, conseguindo não maçar, não chatear, enquanto se vai bebendo, conversando ou sabe-se lá mais o quê. Cumpre, por isso, a directriz que costumo aplicar com alguma regularidade: vinho simbiótico. Por isso, e como alguém já disse: Porreiro pá!

Post Scriptum: O Vinho foi oferecido pelo Produtor.

1 comentário:

Antonio Vieira disse...

Muito bem, já agora onde é possível comprar este vinho?