sábado, março 29, 2014

Explicit

Há rótulos que influenciam? Claro que há. Não tenho qualquer dúvida sobre o assunto. O rótulo e o contra-rótulo leva-nos, ainda, a comprar determinado vinho em detrimento de outro. Não fujo à regra. Depois, tudo se resume ao que está lá dentro: não vale a pena e não se repete mais ou então cai-nos no goto e insistimos na repetição. Este vinho encaixa, na perfeição, na última premissa. 



Depois é um puro deleite beber este vinho, olhando para o rótulo. Tudo parece bater certo, tal é o grau de sugestão que (nos) é criado. Apetece dizer que o vinho é, mesmo, aquilo que está no rótulo, nem mais e nem menos. Resta, por isso, cumprir um conselho que surge em cima do código de barras: DISFRUTE E APRECIE. 

Sem comentários: