segunda-feira, março 17, 2014

Que ao menos se beba!

Que me perdoem todos aqueles que aparecem por aqui por causa do engodo que vou lançando. As fotos são meros artefactos ilustrativos que pouco ou quase nada se relacionam com o que se debita. São estas, como podiam ser outras. São meras escolhas pessoais. 


Hoje, como em tantos outros dias, andei à procura por qualquer coisa de interessante por diversos cantos. Procurei alguém que escrevesse algo ou alguma coisa sobre vinho que fosse diferente, que tivesse graça como isto. Mas a panóplia de inocuidade, de desinteresse é de tal ordem que (me) enfada. Nada. Nada se diz com piada, com humor, com sustento e substracto. A ideia com que fico, só eu, é que tudo está na mesma, que se alinha pelo mesmo diapasão, pela mesma bitola. Onde tudo insiste em encostar-se a um centro que não mexe, que está cada vez mais estático. 


Posto isto, mais uma vez, resta-me: beber. Ir bebendo este ou aquele vinho, para ver se a minha mente não fica trôpega de imaginação. Porque se (ela) me falha...

4 comentários:

Anónimo disse...

Lutar contra o próprio ego não é fácil, mas é o jeito de mantermos uma certa sanidade e paz de espírito

Martha Medeiros

Anónimo disse...

Continuas sem dizer nada de jeito. Publica fotos de homens nus em vez de garrafas de vinho. Vai dar no mesmo.

Anónimo disse...

Andas muito prosaico.

Pingus Vinicus disse...

1º Martha Medeiros, se calhar é isso, não sei.

2º anónimo, tens razão, não te demores por aqui, segue em frente. Não será melhor, antes, fotos de mulheres nuas?

3º anónimo, ando sim senhor!