sexta-feira, agosto 28, 2015

Conselhos ao Vizinho

Lembram-se do meu vizinho do lado direito, aquela personagem que, habitualmente, é aconselhada por mim, no que respeita a vinho? Resolveu dar à costa, batendo à porta. Trata-se, como sabem, da única pessoa que dá crédito ao que digo. Queria, desta vez e desesperadamente, um conjunto de pistas sobre algumas novidades, sobre o que estaria aí na berra, que fossem o último grito. Algo, pelo que percebi, que pudesse, acho, ser diferente. 


Devo dizer que fiquei sem palavras, sem saber o que que dizer ou propor. Um vazio de sugestões, derivado essencialmente de um estado de despreocupação e desatenção sobre o que tem vindo acontecer ultimamente. O silêncio foi, devo reforçar, prolongado, ao ponto de, abanando a cabeça de forma coerente, dizer: não sei, não faço ideia. Não faço mesmo ideia. Vestido com uma postura estática, encaminhei-o para as redes sociais e outros quejandos onde de tudo se mostra e sabe. Talvez pudesse encontrar alguma coisa. Olhou para mim, estupefacto com a inusitada incapacidade de propor o quer que fosse e assim poupar-lhe trabalho.

1 comentário:

Anónimo disse...

Mais de 90% dos produtores não está nas redes sociais ou não as actualiza regularmente. O mesmo se passa com os respectivos sites, quando os têm.