quarta-feira, setembro 09, 2015

Maquia

Elucidação
A palavra Maquia significa dois dezasseis avos de um alqueire; parte que os moleiros tomam para si, como pagamento pelo seu trabalho; uma porção de qualquer coisa; quantidade de dinheiro, pé-de-meia ou pecúlio (não conhecia este termo); ganho ou lucro ou ainda uma tareia, sova ou surra, regionalismos que desconhecia. 

Explanação
Dos poucos vinhos tintos que tenho bebido ultimamente, e tendo em conta o enorme bloco de vinhos monocromáticos, que proliferam na generalidade do país, olhei para este projecto, resultante de uma joint venture entre o Álvaro, Dirk e Carlos, como se fosse uma pequena lufada de ar fresco. Sustento tamanha consideração com o relativo afastamento/desconhecimento sobre o que se vai fazendo aqui ou além. 


A sua elegante simplicidade, pouco habitual nos dias que correm, é um argumento de muito peso. Um argumento, que pessoalmente, foi mais que suficiente para ficar interessado, curioso, agradado. Duplamente satisfeito, por causa do preço.


Senti acima de tudo, e isto é que importa para o caso, estar perante um vinho pouco carregado, pouco musculado, enganosamente débil e  com uma tonalidade que permite deixar passar a luz do dia e não barrá-la, tal breu, como é apanágio de muitos vinhos. 

Desfecho
Para beber até aos últimos resquícios de vida. Um feliz acontecimento, desejando que não tenha sido obra do acaso e esperando que se mantenha nas próximas colheitas, desta forma. Que consiga resistir às derivas extractivas que afastam-nos incessantemente do copo de vinho. 

2 comentários:

Luís Diogo disse...

Caro Enófilo
Gostei imenso deste trabalho sobre o Maquia 2012, possuo desde 2009 os vinhos desta "dupla"; assim pergunto pois não tenho presenta a sua venda (2012) se o mesmo já se encontra à venda:
Respeitosos cumprimentos
Luís Diogo

Pingus Vinicus disse...

Julgo que na garrafeira Wines9297, em Telheiras-Lisboa, se encontra à venda.
Com os meus melhores cumprimentos