terça-feira, janeiro 26, 2016

O Mundo ao contrário

E comer choco frito fora de Setúbal? Leitão longe da Bairrada? Uma açorda de cação no Norte? Uma francesinha no Sul? Ou ainda comer peixe e marisco fresco, na Guarda? Ou a malfadada bifana na raia minhota? 


Quem não costuma descobrir aqueles recantos, em lugares profundamente inusitados, com aqueles petiscos que não são de lá, não são deles, tendo sido apropriados de forma mais ou menos indevidamente, mas que são reproduzidos na perfeição? Quem não desrespeita, regularmente e ostensivamente, as tradições e opta por sair dos habituais caminhos de peregrinação gastronómica? E viver num mundo ao contrário? Ou acha que os dogmas são para cumprir cegamente e sem qualquer questionamento? Eu, pecador me confesso. 

Sem comentários: