terça-feira, setembro 20, 2016

Dão de outros tempos

Como isto é meu, só serve para mim, o post de hoje, à semelhança dos anteriores, não é mais do que um conjunto de nada. Fica resumido a fotos de um certo momento, em que se percorreram memórias, em que nos reencontrámos com factos e momentos há muito esquecidos. Só para mim.



Vinhos do Dão, brancos, que estavam perdidos algures num sítio qualquer. Vinhos que terão levado pancadas, porradas. Sofrido com o frio, com o calor. Andado aos trambolhões, de um lado para o outro. Tal como nós.



Eram extraordinários? Claro que não. Mas portaram-se bem, mostraram garbo e personalidade. Mostraram, acima de tudo, muita dignidade. Coisa que tem tendência a rarear.

Sem comentários: