quarta-feira, dezembro 07, 2016

Fernando Soares Franco

Vamos lá falar de coisas mais sérias. Existem vinhos que atingem uma dimensão que não está ao alcance da maior parte. São vinhos de autor, carregados de um sentimentalismo muitas das vezes inexplicável. Vinhos que atingem níveis de complexidade elevadíssimos. Conciliam, de modo superlativo, tudo aquilo que pretendemos num vinho. Em Português popular e sem rendinhas, podemos dizer que são vinhos do caraças!



O problema, depois, cifra-se na habituação. Habituamos-nos a um determinado conjunto de prazeres que a carteira não consegue acompanhar. E as ressacas, como sabem, são bem lixadas. Depois os produtos de substituição não garantem o mesmo estado de euforia. Uma verdadeira porra.

Sem comentários: