quinta-feira, janeiro 26, 2017

A Arte de fazer igual!

Há que louvar quando bebemos um conjunto de vinhos e eles saberem quase ao mesmo. Vá, com algum esforço e imaginação podemos dizer que existem aqui e acolá qualquer coisa que os distingue. É uma arte que não está ao alcance de todos. É preciso saber e muito. Mostra profundo domínio da técnica e elevado aprumo científico.


A podia ser B ou B podia ser C ou ainda C ser igual a A que não iríamos notar diferenças significativas entre todos. É chapa 5, mas o que importa é a malta gostar. O resto são manias minhas.

3 comentários:

Francisco Trindade disse...

A Adega de Pegões tem mais monocastas...Esta apreciação é em relação às 3 garrafas que aparecem na foto ou aplica-se igualmente a todas as outras?...

Pingus Vinicus disse...

Sei que tem mais monocastas. É um comentário ao um estilo, a uma abordagem. Pessoalmente as diferenças não significativas. Existe um traço comum nestes vinhos e nos outros. Neste caso foram estas 3 garrafas, mas podiam ser outras. Mas como disse, são manias minhas :)

Anónimo disse...

Penso que isto esta a acontecer com os vinhos monocastas da Casa Ermelinda Freitas. Todos muito parecidos, com madeira muito presente.
Jorge