domingo, março 05, 2017

Quinta da Pellada Alfrocheiro: Até que enfim!

Sempre tive alguma dificuldade em compreender os vinhos feitos exclusivamente com a casta alfrocheiro. Parecia que ficava sempre a meia a missa, um pouco naquele estado do vai não vai, no assim assim. Na verdade, para ser franco com vocês, nunca consegui ficar arrebatado verdadeiramente com nenhum deles. Nunca consegui ficar convencido. Ponto.


Contudo existe sempre um mas. Existe sempre uma excepção. Existe sempre um vinho que vai pôr em xeque todo um raciocínio e mostrar-nos que podem existir desvios à norma. E este, entre todos os vinhos estremes desta casta (alfrocheiro) que conheço, foi aquele que conseguiu encher, de facto e de uma vez por todas, as minhas medidas. Sim senhor, isto é muito bom.


Trata-se de um vinho com uma elegância ímpar, com uma profundidade, um equilíbrio que merece ser registado. Destaca-se de forma inequívoca de tudo o resto que conheço, neste universo alfrochieiro. Só tenho que lamentar o preço do vinho. Mas não se pode ter tudo na vida. Nunca se teve e nunca se terá.

4 comentários:

Nelson Moleiro disse...

Andas a obrigar um gajo a vir aqui ver! No retiro facebookiano! Vinho de eleição; registado

Pingus Vinicus disse...

Vai passar rápido. Mas acho que andamos a perder o essencial. Não visitamos os sites, não os comentamos nos lugares devidos. Passamos muito tempo com muita coisa fugaz. Mas vejo que o monstro é enorme.
É mais um momento daqueles meus, que me acerca regularmente. ;)

Artur Hermenegildo disse...

Por acaso sempre gostei bastante dos monocasta Alfrocheiro, desde os anos 90, quando começaram a aparecer, creio que foi a Quinta dos Roques que lançou o primeiro.

Pingus Vinicus disse...

Sim, julgo que terá sido os Roques. Mas tenho que te dizer que sempre tive alguma dificuldade em perceber os vinhos estreme de Alfrocheiro. Este vinho é muito bom Artur, é pena o preço que anda pelos 30 e tal euros.