quinta-feira, julho 12, 2018

Se um tipo experimenta ...

Verdade seja dita, se uma pessoa tem a sorte de tomar conhecimento com qualquer coisa(sita) que seja assim para o mais diferente, corre um sério risco de não querer voltar ao que já conhecia.


Ficamos sem motivação para regressar à normalidade. Nem queremos saber dela. Olhamos para o que temos e achamos que tudo é banal e com pouco interesse. 


E na maior parte das vezes, nem é preciso muito para perceber(mos) que o mundo é, de facto, muito maior e mais interessante do que pensávamos. Mais valia ter(mos) ficado quieto(s). Ao menos anda(va)-se feliz no meio dos nossos hábitos rotineiros e chochos, como se nada mais houvesse. É que já sabemos o que temos, com o que contamos e não ficamos desassossegados. 

sexta-feira, julho 06, 2018

Quem nunca?

Num mundo dominado pelas redes sociais, uma das práticas mais correntes, de todos nós, é mostrarmos o melhor, o mais requintado, o mais caro, o mais exclusivo. O mais difícil e o mais bonito. Transmitimos a ideia que a realidade, de todos nós, é esta e não outra bem mais prosaica, bem menos vistosa, bem mais monótona. Bem mais mundana. A vida real, essa, não a mostramos. Fica escondida. Mostramos apenas alegorias, projecções daquilo que gostaríamos de ter.




Quem nunca fez uma vianda, a partir de qualquer coisa que estava no frigorífico? Quem nunca pegou numa gamela e enfiou lá para dentro meia dúzia de coisas indiferenciadas e as transformou em algo, feio à vista, mas com enorme sabor?




Quem nunca foi ao supermercado e ao hipermercado e pegou nisto e aquilo para fazer uma tachada de comida para a família ou para os amigos, e a colocou em cima da mesa, para a satisfação de todos? Dir-me-ão que nunca. Só eu.

quarta-feira, julho 04, 2018

Isto está ...

Continuando a silly season, fazendo um esforço para não chatear muito a malta, porque a malta é serena e quer ser feliz, o que apraz dizer é, por conseguinte, muito pouco. 


Por isso, meus queridos seguidores, atentos e desatentos, tenho que partilhar com vocês que este vinho, quase por estrear, está do caraças. Tem tudo e mais alguma coisa e por todas estas razões, digo-vos que é para comprar sem qualquer constrangimento, porque isto está bem porreta, como dizem os nossos amigos brasileiros.