domingo, Novembro 26, 2006

Evel Grande Escolha 2000

Ao olhar para o Evel Grande Escolha 2000, o que salta à vista (pelo menos à minha) é o rótulo. Gosto dele. Mostra classe, categoria, personalidade e distinção. O novo, para mim, é feio, incaracteristico, não diz nada. Inócuo. Não percebi esta mudança, principalmente vindo de uma casa com muitos pergaminhos na história do Douro.

Mas e o vinho? Todo ele é educado. Com aromas clássicos, bem envolvidos, sempre digno e brioso. Senta-se na mesa, ao nosso lado, sem grandes exibições, sem grande celeuma. Vai fazendo companhia. Gosto destas características. Alguns dizem que é sinal de quem não gosta de arriscar. É capaz de ser possível.
Durante o diálogo, ia libertando fragâncias minerais. Fetos e folhas secas lembravam o Outono. Um charuto para fumar ao pé da lareira. Madeira envernizada do armário, onde estão cestinhos de fruta cristalizada e frutos secos. Acompanhavam com um suave licor de baunilha. Terminava com café perfumado com canela (sim, eu gosto de mexer a minha bica com um pauzinho de canela).
Entrava devagar pela boca. Não ofendia, pedia licença. Fresco, balsâmico.
Depois da garrafa estar quase no fim, fui acossado por uma questão. Quais serão os vinhos portugueses, da nova geração, que irão ter esta calma ao fim de 6 anos de vida?
Nota Pessoal: 17

5 comentários:

Kroniketas disse...

Parece-me que cada vez menos, infelizmente...
Tenho um comprado este ano, de 2003, à espera do tempo certo para bebê-lo.
Só um pormenor: foi decantado? Mereceria, certmanete.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Quanto ao post "idem aspas aspas"...

Abraços,

N.

Pedro Guimarães disse...

Caro Pingus...

Sou obrigado a concordar em tudo o que disseste!!!
Eu ainda tenho 2 Garrafitas e estou curioso quanto a sua evolução
Quantos anos achas que tem de vida?

P.S. - o novo rótulo não tem ponta por onde se lhe pegue....

Pingus Vinicus disse...

Viva Pedro Guimarães. Colocas-me uma pergunta difícil e não sei se sou o mais indicado para responder.

Mas sou/era capaz de apostar mais uns dois a quatro anos. Pareceu-me ainda vivo de aromas, com boa acidez e boca cheia. Seria interessante provar este vinho com 10 anos de vida...

Anónimo disse...

Sinceramente não percebo a embirração com o novo rótulo. Está mais moderno, mais fresco, mais leve. É a minha opinião.
PV