sexta-feira, janeiro 05, 2007

Alicante Bouschet da Dona Ermelinda

Depois de uma viagem um pouco alucinante com o Touriga Nacional, voltei a repetir a jornada, desta vez, com um Alicante Bouschet de 2004. A gama de varietais, desta produtora está, assim, a ser alargada. Existe também um Syrah do mesmo ano, para além do Touriga Nacional.
A viagem foi mais calma. Deu para observar as paisagens, as vistas. Não havia necessidade de nos agarrarmos ao banco para controlarmos as forças. Elas estavam, agora, mais contidas, mais equilibradas. Não assustavam tanto. Dizem que poderá ser falta de estrutura. É possível. Não nego.
Parecia uma confortável berlinda, com espaço para levar a família, com os putos a ver DVD, no banco de trás. Ao mesmo tempo proporcionava prazer ao condutor. Os "CV" eram suficientes. Nunca fui dado a grandes velocidades.
Pelo copo, pareceu-me encontrar alguma rusticidade (que aprecio). A apresentação, numa fase inical, andou em redor de aromas fumados, do chocolate e da fruta preta (já agora, o que é para vocês fruta preta? Como é que a descrevem?). Com a tradicional abertura, com o aumento do contacto do vinho com o ar, surgiram cascas de cedro envolvidas por sugestões químicas. Nada de excessos.
O breve passeio pelo campo ia enchendo o nariz de odores que proporcionavam alegria, frescura e criavam um interessante nível de complexidade. Sempre num registo calmo. Finalizava com baunilha e caramelo.
Na boca, o seu comportamento não arrepiava. Era, de alguma forma, contido, discreto. Tinha razoável envolvimento. Secura nas gengivas e acidez refrescante. Para alguns de vós, esta dupla poderá estar num registo um pouco elevado. Eu gosto. O remate final era fumado, um pouco amargo.
Um interessante alicante. Não conheço muitos, é certo. Mas este vale a pena provar e se calhar guardar. Nota Pessoal: 16
Post Scriptum:
Perdeu um pouco de intensidade ao longo da prova, o que de alguma forma entristeceu-me.

3 comentários:

Valter Costa disse...

Fruta preta, como a amora, mirtilho.

eduardo lima disse...

Salve Rui,

Um grande ano pra você e sua família com todas as cores, aromas e sabores de um grande alentejano!

Pedro Sousa P.T. disse...

Também há as ameixas pretas, pelo menos por fora. Por dentro se não tiverm maduras, são amargas e acidas, e passam logo a frutas amarelas ou laranjas, como limões. Acho piada a esta casta...