sexta-feira, Janeiro 18, 2008

Moon Harvested, a colheita da Lua

o tinha visto por muitos sítios, já tinha ouvido falar dele. Independentemente das diversas opiniões que foram surgindo pelo meio enófilo (todas elas respeitáveis, mesmo que em alguns momentos surgissem antagónicas) nunca lhe tinha dado grandes atenções. Às vezes, dispersamo-nos com tanta oferta (fartura). Basta pensarmos no risco que corremos em beber qualquer coisa parecida a outra para desistirmos.
Mas antes de escalpelar o vinho, este Herdade dos Grous Moon Harvested 2006 não ficaria melhor se fosse rebaptizado de Colheita da Lua? Ficaria com um semblante mais misterioso, mais enigmático. Com este epíteto anglo-saxónico, parece-me que roça um pouco o enlatado comercial. É uma questão de gosto pessoal. Adiante no texto que os considerandos já vão longos.

Temos um tinto que, apesar de algumas opiniões discordantes (no dia em que foi provado), revelou uma frescura interessante. Nas primeiras inspirações, uma sensação floral prende o nariz. A evolução permitiu-me que apanhasse na cara com uns quantos cheiros a hortelã. Independentemente da influência que o rótulo poderia ter, no nariz ou na boca, emergiram nuances a terra molhada e a cacimba.

O registo aromático adensou-se um pouco com a pimenta. Atrevo-me a dizer que teria, provavelmente, cor verde. A fruta, após algum tempo, surge doce (não enjoativa), bem envolvida pela baunilha e pelo chocolate.
Na boca mostrou um comportamento bem balanceado, sem pontas para limar ou cortar. Combinava bem a doçura da fruta com a frescura do vegetal. Manteve-se por lá o tempo estritamente necessário. Coeso. O final deixou marca.

Um alentejano muito bem feito, moderno, onde o equilíbrio é nota dominante. Não ligando ao factor Lua, e à sua hipotética influência, fiquei contente por tê-lo provado e bebido. Voltaria a fazê-lo. Nota Pessoal: 16,5

4 comentários:

Anónimo disse...

Estás convidado Amigo...até porque desta vez não gostei tanto como a 1ª:))

Penso que é um nectar que necessitta de algum tempo de decantação.

É tido pelo distribuidor como um sério concorrente ao Mouchão tonel 3/4...???

Anónimo disse...

ass:Fisiopraxis

Pingus Vinicus disse...

Eu não vou esquecer o convite.

Anónimo disse...

Certo!

Já voltei a provar o vinho.

Decantei-o com mais tempo e apresentou-se bastante melhor.

Intenso mas de aromas ainda por defenir.
Fresco, encorpado mas nada pesado. Final de boca longo.
Belo alentejano, ao meu estilo.
Vale a pena nova prova.
Preço a rondar 25€

Ass:Fisiopraxis