sábado, Março 22, 2008

Talentvs 2004

Olhando para os meus registos pessoais, para as folhas que tenho por casa, digo-vos com toda a franqueza que não recordo a última vez que bebi um vinho da Quinta Seara d'Ordens. Razão? Nenhuma. Simplesmente não tem calhado. Escolhem-se sempre outros.
Este Talentvs desperta no copo com odores a terra preta, bem revolvida. Balsâmos e chocolate amargo demoraram pouco tempo a revelar-se. Fruta levou-me para o meio de amoras, das ameixas.
Cheiros de apara de lápis, de carvão, de borracha lembram uma sala de aulas no final do dia. Os cestos e as mesas estão salpicadas de resíduos. Deambulava a pedra, a lousa. Saiu um pouco de cravinho.
Acordam as flores. Isto de escolher uma flor é uma tarefa complicada. Lembro-me sempre das mesmas. São aquelas que estão presas na memória. Daqui não saem. Alfazema, hortênsias. É engraçado como a minha mulher (alentejana) diz que as últimas não largam cheiro. Caramba, não largam? Se existe imagem que lembro são os quintais lá de cima cheios delas, bem asseados, limpos e perfumados.
Regresso ao tinto. A madeira, em certas alturas, surgia com aquele tique meio tostado. Nada de grande monta, nada que fosse alterar a minha opinião sobre ele. Aliás, combinou (bem) a rusticidade com modernismo.
Na boca este vinho deu-me a ideia que conseguia aliar de forma congruente a secura, um pouco de gordura, com a desejável frescura. Em certos momentos, transmitiu-me a sensação que se podia mastigar. A fruta e o chocolate mostraram-se bem misturados. Um bloco com boa coesão.
Soube-me bem, bebeu-se bem. Falta-lhe um niquinho de qualquer coisa para se tornar em algo ainda mais sério (desculpem-me a arrogância). Apesar disto e de outras coisas, confrontei-me com um tinto do Douro saboroso que revelou (muita) sensatez e equilíbrio. Depois, e muito bem, optou por não esquecer a terra que o fez nascer. Nota Pessoal: 16
Post Scriptum: Não foi combinado, mas reparei que o meu comparsa Saca-a-Rolha andou de volta deste vinho.

Provavelmente não voltaremos a falar nas próximas horas. Desejo-vos um bom descanso.

3 comentários:

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Pois foi... que grande coincidência.

Um forte ab.

N.

Pedro Rafael Barata (Blog Os Vinhos) disse...

Para que preços anda este vinho?

Pingus Vinicus disse...

20/25€