quarta-feira, Fevereiro 10, 2010

Madeira Malvazia 1879

Andei a romoer, a mastigar sobre a forma como apresentar o caso. Efectivamente, e apesar de estar a escrever, o problema não está resolvido. Tudo se resume ao deslumbre, ao fascínio que ando a ter pelos vinhos da Madeira. Acredito que alguns estarão a dizer que cheguei atrasado. Creio que têm razão.  

A título pessoal, e apesar de o ter já feito, não é tarefa acessível desmanchar um vinho deste género. Descobri, a custo, que ocupar o tempo a contar pormenorizadamente o que se passa dentro do copo é sinal de falta de inteligência. Não são vinhos destinados a isso. Cada gole que cai pela garganta abaixo acaba por ser simplesmente um momento de elevado prazer. 


Posto isto, e para não perder tempo com a coisa, digo-vos que fiquei boquiaberto, entorpecido quando aportou na beiça o primeiro sinal de um Malvazia 1879. Autêntica loucura. Um rolo de emoções, de sensações arrebatadoras. Uma acidez que cortava a boca. Sabores indecifráveis. Um vinho estupendo. Um eterno jovem carregado de história. Fiquei com uma certeza: Irei morrer primeiroNota Pessoal: 19

Post Scriptum: Fizeram parelha outros dois generosos. Apesar do valor que tinham, acabaram ficar longe dos holofotes.

11 comentários:

Rui Lourenço Pereira disse...

Até que enfim me percebes!!!
Vinho da Madeira é realmente extraordinário. Muito elegantes, finos, complexos e de elevada persistência. Vinhos para descobrir, reter, degustar, beber. Estes frasqueiras antigos só são comparáveis aos mais sublimes vintages. Tens que beber mais e dar mais a beber para que haja mais adeptos de tão divino vinho.

AJS disse...

Também eu cheguei tarde aos Madeira. Tive, igualmente, uma surpresa extraordinariamente agradável. A circunstância de ser do Douro levou-me a esta perda que espero ter ainda tempo para recuperar. Mesmo nos Porto Vintage, velhos, é difícil encontrar uma acidez tão agradável, como nos Madeira. Mesmo nos mais recentes. São descobertas e deslumbramentos espantosos.

Pingus Vinicus disse...

De facto meus caros, são vinhos impressionantes. A acidez é enorme.
Morreremos, certamente, primeiro.

Favaíto disse...

Boa tarde a todos,

Favaíto já se encontra online no Facebook, através do endereço de email favaito@hotmail.com.

Vemo-nos por lá!

rei dolce disse...

boas,
sou apenas um curioso do mundo do vinho, talvez por isso nunca tive curiosidade sobre os vinhos da Madeira.
Alguém pode dizer-me o nome de um ou outro vinho para provar?
cumprimentos
I.L

Anónimo disse...

Percebo mt bem o dislumbre.
Tb eu tenho um Malvasia de 1880 para abrir no dia 22/02 quando o meu filho fizer anos.
É quase religioso o respeito que tenho por ir beber um vinho do tempo de Napoleão!
Cumps.
J Freitas

Pingus Vinicus disse...

Caro JFreitas, estamos a falar de vinho com uma longa vida, parecem eternos jovens e cheios de sabores e aromas.

Dada a minha curta experiência neste tipo de vinhos, o deslumbre é sempre muito grande.

Um forte abraço

Rui Lourenço Pereira disse...

Caro rei dolce,

Existem os seguintes produtores de vinho da Madeira:
- Madeira Wine Company
- Barbeito
- Pereira de Oliveira (D'Oliveiras)
- Henriques & Henriques
- H.M.Borges
- Justino Hernquiques

Sugestão: Tal como no vinho do Porto não começar naqueles cujo o preço é o mais baixo. Aí é a "morte do artista".

Pingus Vinicus disse...

Pois o factor preço é que é complicado, porque é preciso gastar umas belas coroas para chegar ao melhor.
O Porto acaba por ter melhor RQP, acho eu, que os Madeira.

rei dolce disse...

caro Rui lourenço Pereira,

obrigado pelas sugestões.

cumprimentos

Luiz Cola disse...

Caro Pingus,

Acabo de receber minha garrafa do Malvasia 1879! Espero que ao abrí-la (em breve) tenha a mesma satisfação sensorial que você descreveu ao abriu a sua...
Contarei depois!

Abs,

Luiz Cola
www.vinhosemaisvinhos.blogspot.com