domingo, março 25, 2012

Vinhos e Mulheres

Se havia algum resquício, ele desapareceu. O toque feminino transmite, definitivamente, mais elegância, mais subtileza e incute maior respeito. Os machos ficam disciplinados, controlam as suas plumagens, evitam, deste modo, vociferar impropérios desnecessários.


A mulher é incisiva, mais dura. Impõe respeito pelo olhar, pela piada cortante. Não tendo músculo, socorre-se da artimanha para chegar ao fulcro.


É preciso vasculhar bem fundo as calendas para relembrar momentos de enófilia em que a subtileza e o discernimento estivessem presentes desde o primeiro até ao último minuto.


Estivessem só homens e teríamos exibições másculas, de conteúdo aparvoado, em que cada um contaria estórias de teor fictício, com mais ou menos grau de imaginação.


No final, todos seriam assolados pela ebriez.


Enfiados por elas num castelo, em ambiente palaciano e em terras de Santiago, e sob a alçada do grupo facebookiano TWA, meia dúzia de homens foram conduzidos para uma prova, para um encontro com vinhos, em que o género oposto era o mote. 


Por entre comentários mais ou menos deslocados, mais ou menos assertivos, fica a ideia, parece-me, que a mão mais fina da mulher não é marcante nos vinhos que vamos bebendo. 


Que há vinhos femininos, lá isso há. Só que às vezes são feitos por homens. :)

2 comentários:

Elias Macovela disse...

Pingus,

Nesta prova também vimos que os vinhos feitos por enólogas não são vinhos "mariquinhas", mas sim, vinhos com personalidade bem vincada, elegância e músculo. Sim, muito musculados!
Mais uma vez, os meu parabéns para as organizadoras.

Um abraço,

Elias Macovela
http://ovinhoeefemero.blogspot.pt/

Pingus Vinicus disse...

É verdade, sim senhor :)