quarta-feira, dezembro 18, 2013

Terras do Demo

Vem, segundo a tradição, das terras que eram do Demo. É, portanto, um enorme cartão de visita: um espumante que vem das Terras do Demo. Só o nome dissilábico Demo é o suficiente para alguém, como eu, dar nota bem mais elevada (se as desse). Como não dou notas, menções, classificações ou graduações, cinjo-me apenas acto de, se gostar, beber até restar apenas memória do vinho e a aludir ao facto.



E, perdoem-me os festeiros, longe vão os tempos em que espumante era sinónimo de bolo de aniversário, de comemoração qualquer. No caso particular, o meu, bebi-o porque não tinha nada para comemorar. Foi, portanto, uma não comemoração

Sem comentários: