sábado, maio 03, 2014

Primus: O acto de complexizar

O acto da simplicidade, de comer uma comida prosaica, descomprometida, sem qualquer rasgo de modernidade ou gourmendice (palavra inventada) pode aparentemente não ter qualquer relação com um vinho de estirpe, mas tem. Torna o simples em algo mais complexo, em qualquer coisa com classe, com requinte. E tudo por causa, vejam lá, de um vinho. 



O que à priori não teria qualquer história, qualquer ponto de interesse, transforma-se numa narrativa com densidade, com argumento, em que actores se envolvem num enredo quase sem fim. E tudo, vejam lá mais um vez, por causa de um vinho.



De repente, e sem estar a prever, estou a assistir a tudo e assim continuei até nada restar. Até ficar em estado de satisfação pura.

1 comentário:

Flavio Henrique disse...

Dão... Quinta da Pellada... Primus... e da grande safra de 2011. Não há o que comentar.
Abraços,
Flavio