sábado, novembro 08, 2014

Encruzado&Malvasia

Simplesmente um dueto que funciona, uma dupla que faz sentido, um par que identifica a região.
Seja qual for a proporção entre elas, a percentagem, o peso de uma em relação à outra, combinam, complementam-se, há coerência. Mesmo sabendo que não há relações perfeitas, ficam bem uma junto da outra.



São vinhos que mostram tensão, frescura saudavelmente exacerbada, limpeza de sabores e clareza de aromas. Formam um bloco. O que uma não tem, terá a outra. Ou vice-versa.

4 comentários:

Flavio Henrique disse...

Fotos de livro, caro Pingus! É o 2012 este, não? Achei aqui no Brasil e vou buscá-lo. Bem, claro que o preço é daqueles... Mas se pensar nisso, não bebo vinho...
Abraços,
Flavio

Pingus Vinicus disse...

Obrigado Flavio :) Por acaso 2013 :)

Rui Lourenço Pereira disse...

Pingus,

Apenas um pormenor no título do artigo e corrige-me se estiver enganado.

Penso que a Malvasia-Fina corresponde ao Arinto Galego ou então ao Boal(no caso da Madeira)

Por outro lado a Malvasia corresponde ao Malmsey (no caso da Madeira)

Este vinho, segundo o rotulo é feito com Malvasia Fina.

Abraço

rlp

Pingus Vinicus disse...

Rui, foi opção pessoal ter referido apenas "malvasia" e ter ocultado o "fina" O rótulo como diz, refere Malvasia-Fina. Logo estava a falar da mesma casta ;)

Abraço