domingo, novembro 16, 2014

Mais uma Flor: de Penalva

Não comprei o vinho por causa do nome, aliás ao lado dele estavam outras flores. Acho, até, que podiam escolher, deviam ter escolhido outro nome. Havia ali uma certa colagem. Pareceu-me. 
Também não escolhi o vinho pelo rótulo, que apesar de ser minimalista e classicista, podia ser um pouco mais arrojado, mais actualizado, vá lá um pouco mais jovem.


Comprei o vinho, por causa da mistura de castas que vinha escarrapachada no contra-rótulo: Malvasia-Fina, Cerceal-Branco & Bical. O omnipresente Encruzado, vejam lá, estava ausente. Também comprei o vinho, por razões, a maior parte delas, completamente subjectivas, sem qualquer sustento. Comprei porque tinha, naquele momento, de comprar qualquer coisa


Um vinho porreiro, minimalista, fresco e franco. E em jeito de conselho, para os autores dos famigerados rótulos e contra-rótulos, revejam o principalmente o texto.

Sem comentários: