terça-feira, março 15, 2016

Quinta de SanJoanne: Escolhido há 13 anos atrás

Há momentos em que não são precisas grandes deambulações, grandes coisas para dizer textualmente e perante testemunhas: Grande Vinho! Ou vinho da noite ou daquele momento ou daquela altura. Daquelas sensações que arrebatam, que nos levam a dizer para connosco esquece lá o resto. É este e pronto. Não valia a pena estar com meias medidas, com meias palavras ou com grandes justificações. É assim mesmo.



Registei e ainda registo o facto de ter estado perante um vinho branco com treze anos de idade, que apresentava uma força descomunal, um vigor indescritível, com uma forma inatingível, quiçá, pela maioria dos vinhos brancos portugueses. Afirmação tola, exagerada e despropositada? Pois que seja, pois que seja.

2 comentários:

Anónimo disse...

Rui,

O problema mesmo é guardar um vinho durante 13 anos.

Outro problema é o "mercado" estar sempre a pedir colheitas novas, as últimas colheitas, e os produtores por necessidade financeira terem que as colocar na rua.

O caso particular do San Joanne devia ser um case study de tão bem que evolui.

VA

Pingus Vinicus disse...

Concordo!