quarta-feira, março 22, 2017

Quem está mal que se mude...

Há dias a matutar com isto. Uma das grandes falhas para quem gosta de vinho em PT é a quase ausência de arrojo na opinião. Comenta-se e critica-se muito pouco. O que se faz, cada um à sua maneira, é descrever, com mais ou menos flores e muito superficialmente, este ou aquele vinho, esta ou aquela apresentação, esta ou aquela situação, este ou aquele lançamento.
Quando se esbarra contra assuntos de maior melindre, a tendência é para virar a cara e assobiar para o lado. Queima. Ficamos resumidos a ovações. Ovaciona-se tudo, dá-se os parabéns por tudo e por nada. Fica-se com a ideia que vivemos numa dimensão awesome.
Fico com a impressão que a malta, seja ela qual for, dá-se mal com o comentário, seja ele esclarecido ou não, seja ele especializado ou não. Dá-se mal, acima de tudo, com o comentário que não seja concordante, que não esteja enquadrado pela bitola da maioria. Provoca incómodo e é considerado incendiário e gratuito. Aprecio, devo dizer, quem discorda e que no final tem coragem para beber um copo, sem rancor pelo o seu contendedor.


Como consequência, somos confrontados, eu sou, com uma realidade que é cada vez mais normalizada, sem qualquer rasgo de genialidade, onde o comportamento inócuo impera. Um estilo opinativo que não cria ondas e satisfaz. São as tais opiniões equilibristas que tem como finalidade não melindrar e deixar contente ou satisfeita toda a gente. Fica no ar a ideia de que o objectivo é ter direito a uma parte do bolo, independentemente se é uma migalha ou uma fatia bem mais robusta. Mas quem não gosta de participar numa festa?
Se do lado de lá (o do profissional, no sentido lato), até aceito e compreendo alguma contenção, pois a teia de interesses (sem qualquer sentido pejorativo) é grande, nunca compreendi, ao fim destes anos todos, que do lado de cá (o do consumidor blogueiro ou não) se evite sistematicamente dar uma opinião mais assertiva. Muitas vezes, bastaria um simples não gosto ou não concordo ou ainda acho que não é bem assim para animar a coisa. Será assim tudo tão bonito? Nunca consegui compreender. Mas como se costuma dizer, quem está mal que se mude.

11 comentários:

Amândio Cupido disse...

Os vinhos da Niepoort são uma porcaria, mas toda a gente os compra...

João Tavares de Pina disse...

Como produtor, devo-me abster de fazer qualquer tipo de comentário sobre muita das merdas que não gosto, que têm estilos que não me agradam. Hoje já não há vinhos maus, nem mal feitos, há é vinhos de projecto e vinhos autênticos... Parece-me também que os comentadores que vou acompanhando não têm qualquer tipo de critério, gostam de tudo, o que não deixa de ser estranho: esta postura, sugere-me que unicamente têm a intenção de bajular os produtores para receberem algum afecto em troca, para se sentirem apreciados e de alguma forma terem a simpatia (ou acharem que têm) dos produtores. Trata-se do bajulador viscoso, que usa de um discurso desmesuradamente diplomático para agradar a gregos e troianos. Posso até estabelecer um paralelo com os funcionários que fazem atendimento publico, seja ao balcão, seja pelo telefone, que por maior que seja a nossa ira e revolta não alteram o tom, não se emocionam, respondendo sempre de uma forma tão diplomática que se torna provocadora...

jorge saraiva disse...

A opinião, incluindo a falta dela que é também uma forma de expressão, é dada pelas decisões de compra. Claro que é condicionada, pois é. Mas o que há neste mundo sem condicionalismos? Como em tanta coisa na vida, e sem desmerecer a palavra, mais importante do que o que se diz é o que se faz.

Pingus Vinicus disse...

Jorge concordo, é claro, contigo.

Pingus Vinicus disse...

JTP, é essa a impressão com que fico...

Rodrigo J. Callado disse...

Hoje, quem sair do "fixe", "top", "poderoso", "brutal" está feito ao bife...comentários que expressem o que é o vinho, a que sabe, se está verde e se precisa de tempo, se está na hora de beber, isso não faz parte do léxico utilizado. E quem não conhece estes termos...

Pingus Vinicus disse...

Amândio és livre dizer o que achas! E há que respeitar.

Rui Lourenço Pereira disse...

O João dos "Cavalos" escreveu e disse!!!

Flavio Henrique disse...

Caros,
Concordo com o Pingus. Com o Amândio, infelizmente, devo discordar (mas respeitar, como bem citou o Pingus)... Gosto muito dos vinhos de Niepoort, apesar de os achar muito caros.
Saudações,
Flavio

Anónimo disse...

A maioria dos blogueiros só elogiam os vinhos que bebem, por no mínimo, 3 motivos:

1. Grande parte tem conhecimento e experiência (litragem) limitados;

2. Grande parte não passa de puxas-sacos em busca de bocas-livres e algumas garrafas de presente;

3. As duas coisas juntas.

Victor

Paulo Silva disse...

Estimado Cupido,

Fico desiludido e muito espantado com este teu comentário.
Os vinhos da Niepoort são uma porcaria?


Este ano no evento Niepoort Portas Abertas não precisas de nos vir visitar para beberes porcaria.

Já experimentaste usá-los na comida?


Paulo Silva
Niepoort Vinhos