segunda-feira, junho 11, 2018

La Bruja de Rozas

Há uma porrada de tempo que não bebia os vinhos do Comando G. Um comando formando por Daniel Jimenez-Landi e Fernando Garcia. O G reporta-se a Garnacha. Os vinhos que saem das mãos desta dupla são desafiantes e meio loucos. Vindos de vinhas situadas a mil metros de altitude, na Serra de Gredos. É daqueles que nos abrem a cabeça e as pupilas gustativas, para outras cenas mais alternativas. Vinhos indicados, portanto, para quem quer sair do conforto do mesmo de sempre. 

Desculpem as nódoas na toalha, bem como a fraca apresentação da vianda.
Este Bruja é um mero entrada de gama do Comando, mas ainda assim mostra ser um vinho completo e provocador. Não sendo um simplório qualquer. Mostra-nos, também, que os catorze graus de álcool não interferem e não destroem o prazer. 
Um vinho bastante fresco, cheio de impressões vegetais. Repleto de fruta sumarenta, limpo de madeira e pouco concentrado na cor. Seco e refrescante na boca. Bebeu-se com profundo agradado e enorme satisfação, de tal forma que a garrafa se esvaiu num ápice. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Óptimo trabalho, encontrei o seu blog por acaso e estou deliciado, continuação do bom trabalho.

Pingus Vinicus disse...

Olá! Obrigado pela suas palavras. É um canto de loucuras pessoais.
Espero que continue a ler, mesmo não concordando e divulgue.

Obrigado
Um abraço!