terça-feira, Novembro 07, 2006

Syrah da Herdade da Maroteira

Herdade da Maroteira Syrah 2005. Um tinto que nasceu na Aldeia da Serra, Redondo. Já agora, um pequeno desvio. Não foi por estas bandas que aconteceu um grande incêndio, que destruiu grande parte da paisagem envolvente, neste último Verão?
Falemos da pinga. Mais uma descoberta alentejana (para mim). Surpresas destas, eu gosto. Não sou grande amante dos vinhos da grande planície (os meus amigos sabem disso. São manias, que facilmente são contrariadas, como já foram, por diversas vezes).
Andei por essa internet fora à procura de informações sobre este produtor, mas nada encontrei. Pode ser que o master dos vinhos alentejanos passe por aqui e diga, partilhe com a malta o que sabe sobre esta Herdade. Eu, pelo menos, ficava grato.
O vinho esse, apresentou-se com aromas iniciais a azeitona preta esmagada (não vale a pena perguntar qual é diferença entre esta e as outras. Tinha que optar por uma cor. Escolhi a preta). Lembrei-me muitas vezes dos odores do lagar, da adega, do cachiço. Aprecio muito. Dão-lhe personalidade, carácter. Os experts dizem que são vinhos com um lado rústico. Para mim, ainda bem. Nada de modernices, bem longe dos vinhos urbanos, metro, que estão na moda e fazem um enorme sucesso.
Depois de ter libertado aquele tal lado mais rural, manifestaram-se aromas pretos, muito pretos, de aparência fresca, sem excessos. A fruta tinha alguma subtileza. Cacau amargo, com tabaco, peles e couros. Apimentado.
Uma boca sedosa, envolvente, onde a azeitona, o caramelo, a baunilha, o cacau imperam. Tudo suportado por uma correcta acidez. Um final de boca médio, com qualidade e que me deixou boas recordações.
Gostava de ter algumas botelhinhas deste alentejano do Redondo. Quem souber onde elas andam, digam-me, falem comigo. Gostava de provar em minha casa, com toda a calma do mundo.
Nota Pessoal: 16,5


Post Scriptum: Ando a gostar dos vinhos alentejanos. Estarei a mudar ou serão os vinhos alentejanos que estão abandonar aquele estilo pesadão, meio madurão?
A fotografia é de umas das entradas da Vila do Redondo.

9 comentários:

Copo de 3 disse...

Pois então, vejamos, pelo que sei trata-se de um produtor recente, eles têm um turismo rural, pelo menos os vinhos não os conheço lá na zona mas vou tratar de conhecer quando for a Vila Viçosa, tens outro produtor perto Herdade Vale D´Anta que tinha um Touriga Nacional interessante.

A foto que tens é nem mais nem menos que a Porta da Ravessa, que dá o nome ao famoso vinho da Coop de Redondo.
E não é do Redondo mas sim de Redondo :)

Copo de 3 disse...

Ok aqui ficam mais algumas informações, pelo que sei são 10.000 garrafas, não têm adega própria, vinho está a ser rotulado e vai ser parte destinada ao mercado Holandês... e depois dizem que o vinho não é exportado :)
Sei que vai sair a um preço aproximado dos 7-8€

Pingus Vinicus disse...

Belo Preço. Thanks!

Kroniketas disse...

Estilo pesadão? Ora, ora, então andamos distraídos dos vinhos do Esporão?

Pingus Vinicus disse...

Esporão? Ninguém se esquece do Esporão...

Anónimo disse...

Caro Pingus Vinicius! Fico feliz pela prova, do Syrah da Maroteira, estou estupefacto como é que têm uma amostra. O vinho são na realidade 10.000 garrafas que terão embalagens distintas para o mercado nacional "Cem mil Reis" e para o mercado Holandês "Tintja". Foi fermentado em cuba com pós maceração de 17 dias. Estagiou 70% em barricas novas (50% Francesas e 50% Americanas), os restantes 30% em barricas de 1 ano compradas directamente ao Mouton Rotschield.

Com os melhores cumprimentos do enólogo. António Moita Maçanita

Pingus Vinicus disse...

Caro António Maçanita, é com muito prazer que leio as suas palavras. Devo-lhe dizer que tive acesso a uma amostra na Garrafeira das Coisas do Arco do Vinho.
Com os meus melhores cumprimentos
Rui M

Anónimo disse...

Este vinhos já saíu para o mercado. Preço de venda a garrafeiras 9.45 + Iva o que significa que vai andar lá para os 15-15.50€ nas garrafeiras. Rótulo adaptado de uma nota de Cem Reis e dá pelo mesmo nome. Deixou cair os Mil. Medalha de prata no Mundus Vini 2007 e medalha de prata no Wine Master Challenge 2007. Provei hoje na VinoDivino juntamente com o produtor. Estárá à venda a partir de 3ª feira. Surpresa muito positiva e uma belissima estreia. Uma lufada de ar fresco para este mundo dos vinhos alentejanos.

Anónimo disse...

Bebi ontem, fã de SYRAH, foi este uma agradável surpresa! À venda em Torres Vedras, na Garrafeira S. Pedro.