domingo, Janeiro 06, 2008

A Reserva do 2º Grou

No início, logo que meti a narina dentro do copo cheguei a temer que, lá do interior, surgisse apenas a maldita fruta. Receei que fosse atacado pelo enjoo e enfastiasse a refeição (um risoto de espargos que preparou a vinda de um borreguinho assado no forno, com pouco tempero). Não seria a primeira vez que largaria um vinho, puxando a água para a minha beira.
Apesar de ter mantido a sua matriz frutada, ao longo da minha noite, foram irrompendo a bem do meu nariz várias sensações aromáticas de semblante floral. Iam puxando cá para fora uma pequena quantidade de bálsamos que ajudaram a refrescar o vinho, aliviando o hálito, tornando-o mais leve e sadio.
Os ponteiros do relógio foram essenciais no ajuste dos aromas (e dos sabores). Tornaram-se num amigo, num grande amigo. Dele e meu. Carvão e gotas de tinta da China acercavam-se, agora, tentando erguer mais uma cerca em volta da fruta. Insuficiente para barrá-la convenientemente.
O gosto era mentolado, frutado, com uma sensação final a baunilha. A estrutura, o esqueleto era mediano, com capacidade muscular suficiente. Nota Pessoal: 14,5

À medida que lançava os meus apontamentos na folha, encalhei num fatídico pensamento: "Qualidade é visível, mas não sai do tradicional intervalo compreendido entre 14 e 15,5. Por mais que prove, não saio daqui."
A maior parte dos vinhos, que andam por aí, apresentam poucas diferenças entre eles. 0,5 para cima ou 0,5 para baixo, no essencial, querem dizer a mesma coisa.
O Grou 2 Reserva 2005 é um tinto alentejano com interesse, mas longe de proporcionar uma correria para o apanhar. Por 10€, parece-me que existem melhores opções.

5 comentários:

Pedro Sousa P.T. disse...

Comprei uma garrafa destas numa garrafeira de Carcavelos. A pessoa que me vendeu, teceu grandes elogios sobre este vinho. Pagei os tais 10€ ou 11€, e vim todo feliz para casa. Passado uns meses abri-o, e fiquei tal e qual com a mesma sensação. Por 10 ou 11 euritos fazia uma festa melhor, e não era preciso ser reserva...

Pingus Vinicus disse...

É essa a ideia com que fiquei depois de provar o vinho.

Aliás, a sensação de que andamos a gastar mal o nosso dinheiro é cada vez maior. Não porque os vinhos estejam maus, mas porque são sistematicamente iguais, muito parecidos entre eles. Um tipo, ao fim de várias investidas, começa a bocejar de tédio.

Para os vendedores "este ou aquele" são sempre os melhores, depois surgem "outros" e esses sim são o máximo. No fim, cheiram e sabem quase tudo ao mesmo.

Nuno de Oliveira Garcia disse...

Curiosamente, e quanto ao Grou 2004 (não este Grou 2), gosto bastante e não me parece muito do "gosto frutado". Devem ser as diferenças na gama - começou por ser Grou, depois surgiu o Grou 2 e agora o Grpu 2 Reserva.

Um ab.

Nuno

Anónimo disse...

eu provei e gostei bastante do vinho, só não sei onde posso adquiri-lo. alguma sugestão?
pfarromba@hotmail.com

Pingus Vinicus disse...

Caro anónimo acredito que tenha gostado. A questão, para mim, é que é mais um vinho.

De resto estamos, como referi, um vinho com qualidade. Isso é inegável.